eco.sapo.ptSebastião Lancastre - 1 ago 12:15

Prefere proteção na compra ou no pagamento?

Prefere proteção na compra ou no pagamento?

Da próxima vez que fizer uma compra, pense se deve pagar com Referência MB, MBWay ou Cartão Visa/Mastercard.

Tanto para quem nunca fez compras online como para quem as faz habitualmente estes são os dois motivos que nos dão mais razões para ficarmos com uma certa sensação de insegurança no momento de pagar online:

  1. Posso confiar na introdução dos dados do meu cartão neste site?
  2. Posso confiar que vou receber a minha encomenda?

Estes dois aspetos levam-nos a assumir alguns comportamentos perante uma compra online, que nos protegem no caso de alguma coisa correr mal.

Até ao final do ano, transações online com cartão acima dos 50 euros vão exigir Autenticação Forte, ou seja, que garantam que sou eu que estou a fazer a compra com o meu cartão. Mas ainda assim fica por resolver a segunda parte: o site onde estou a fazer a compra é fidedigno? A loja vai entregar-me a encomenda que eu fiz e no tempo acordado?

Antes de se entusiasmar a fazer uma compra num site pela primeira vez, fique com algumas dicas que podem ajudar:

  1. Pesquise reviews da experiência de compras feitas nesse site,
  2. Procure a identificação “Site seguro”,
  3. Escolha o método de pagamento que o protege mais:

Não se esqueça que grandes marcas são geralmente mais fiáveis, pois investem em permanência no serviço, experiência do consumidor e satisfação do cliente e, nesse sentido, a segurança é também uma prioridade. No entanto, marcas com menos notoriedade podem também ser fiáveis. A opção pelo método de pagamento mais seguro é uma vantagem adicional, uma vez que oferece maior proteção.

Mas há mais. Há um enorme trabalho a fazer por parte das instituições financeiras para reduzir o arquivo de dados pessoais e de dados de pagamento, evitando que um servidor comprometido possa ter informação sensível referente às transações. As empresas mais avançadas nesta área transformam o número do cartão num número com 256 bits (um token) que se for “apanhado” por um intruso informático não tem qualquer utilização.

Por último, as instituições financeiras procuram as certificações que reforçam a segurança dos pagamentos. É o caso da certificação PCI DSS (Payment Cards Industry Data Security Standards) que certifica que a empresa em causa segue um conjunto de diretrizes para gerir a segurança dos cartões de crédito, exigindo mais de 80 requisitos e 400 procedimentos de teste. As entidades que detêm esta certificação proporcionam total confiança ao consumidor, uma vez que criam e mantém uma rede e sistemas seguros, protegem os dados do titular do cartão, mantém um programa de gestão de vulnerabilidades, implementam medidas fortes de controlo de acesso, monitorizam e testam as redes regularmente e mantém uma política de segurança da informação. Os websites identificam se a Instituição de Pagamento é ou não certificada, uma garantia adicional para o consumidor. Ou seja, também do lado de quem processa pagamentos há um permanente investimento em segurança das transações online.

As compras online são muito confortáveis e eficientes, mas o consumidor tem que confiar que vai receber a encomenda, e que o pagamento que está a fazer é seguro. Para isso, lembre-se de verificar a fiabilidade do site onde está a efetuar a compra, escolher o método de pagamento que lhe confere mais segurança e proteção e que a plataforma de pagamentos é segura e certificada.

1
1