Porque é que a polícia não faz rusgas nas festas de Wall Street, conhecidas pela névoa de cocaína no ar, e tende a fazer rusgas ao crack dos bairros pobres e negros? Não, a questão não é a raça, é a classe social, a variável esquecida: os ricos brancos têm advogados que tornam difíceis ou impossíveis as detenções e o consequente cumprimento dos objetivos numéricos e democráticos do xerife e do magistrado