www.publico.ptpublico@publico.pt - 1 ago 00:25

Estar na linha da frente

Estar na linha da frente

Quando tanto se fala do nosso mar como desígnio estratégico para o futuro, Portugal pode orgulhar-se de ter na Madeira um cluster marítimo em franca expansão, numa das áreas de topo mais competitivas a nível global.

O Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR) tem mantido uma trajectória de sucesso e crescimento e é, hoje, um dos melhores registos de navios do Mundo.

Com o MAR, Portugal voltou a ganhar um peso significativo na marinha mercante mundial e nas actividades marítimas em geral, tendo actualmente uma participação activa nas mais prestigiadas organizações internacionais do sector, como a IMO (International Maritime Organization).

O Registo Internacional de Navios da Madeira tem atraído os maiores armadores internacionais e os navios mercantes mais modernos para a Bandeira Nacional, tem conseguido deslocar para o nosso território as empresas de “shipmanagement” e de “manning” mais competitivas, tem garantido inúmeros postos de trabalho bem remunerados, quer no mar (tripulações), quer terra para jovens quadros, tem possibilitado ao País a aquisição “know how” especializado e tecnologia de ponta no domínio do transporte marítimo.

A 31 de Dezembro de 2019, o nosso Registo Internacional ostentava o número impressionante de 680 embarcações registadas. Os navios de comércio com a nossa bandeira apresentavam uma tonelagem de arqueação bruta de 15.653.589 toneladas, com uma idade média de 11,8 anos.

Por outro lado, a confirmação da presença do MAR nas listas brancas do MoU de Paris prova o rigor e a transparência do Registo Internacional de Navios da Madeira, e o reconhecimento das instâncias reguladoras internacionais do sector marítimo relativamente ao trabalho que tem sido desenvolvido, em prol da qualidade e segurança do nosso registo.

Quando tanto se fala do nosso mar como desígnio estratégico para o futuro, vale a pena referir que graças a este registo internacional e a um trabalho competente desenvolvido fora dos holofotes mediáticos, Portugal pode orgulhar-se de ter um cluster marítimo em franca expansão, numa das áreas de topo mais competitivas a nível global.

Os armadores com navios registados no MAR são originários de mais de uma dezena de países. Estes navios, de grande tonelagem, navegam em águas internacionais e visitam portos de todo o Mundo, arvorando a bandeira de Portugal.

Depois de um longo processo, e após enfrentar a habitual burocracia bizantina nacional e os pequenos poderes instalados sempre avessos à mudança, o Parlamento Nacional, finalmente, aprovou um novo regime hipotecário para o MAR, que permitirá a Portugal, a médio prazo, triplicar o número de embarcações com a bandeira nacional, reforçar a sua presença nos grandes mercados marítimos no Mundo e chegar ao “top 3” da Europa e ao “top 10” mundial.

É este o objectivo: estarmos na linha da frente, com os melhores do Mundo.

1
1