expresso.ptBruno Vieira Amaral - 30 jul 19:44

Quinze anos de silêncio

Quinze anos de silêncio

Crónica

Quinze anos. Passaram quinze anos. Julho. Foi em julho. O quarto frio do hospital. Frio porquê? São assim os quartos de hospital. É assim que me lembro deles. Frios. Não tarda a morte chega. Ainda temos dois dias. Dois dias inteiros. Quarenta e oito horas até a morte chegar. E depois tudo acaba. Ponto. Não é uma música que possas voltar a ouvir. Mãos diferentes podem tocar no piano músicas conhecidas. Com a vida é diferente. Passa. Acaba. Um último suspiro e nunca mais a poderás ouvir. Não aquela.

1
1