www.dinheirovivo.ptdinheirovivo.pt - 1 jul 08:00

CP compra carruagens para Linha do Minho elétrica

CP compra carruagens para Linha do Minho elétrica

Investimento da transportadora de 1,6 milhões de euros permite circulação de comboios até 200 km/h entre Porto e Valença a partir do final deste ano.

A CP comprou a Espanha 51 carruagens por 1,6 milhões de euros para reforçar o serviço regional em todo o país. A Linha do Minho vai ser a primeira beneficiada deste negócio, já a partir do último trimestre deste ano. As primeiras 18 carruagens chegam esta quarta-feira a Vilar Formoso, para depois serem reparadas nas oficinas da CP de Guifões, Matosinhos, reabertas no início deste ano.

“O primeiro objetivo destas carruagens é tê-las em número suficiente para a inauguração da Linha do Minho com material muito digno”, assinala ao Dinheiro Vivo o presidente da CP, Nuno Freitas.

As novas carruagens da CP poderão ser puxadas por locomotivas elétricas 2600, que estavam encostadas no Entroncamento e que também estão a ser recuperadas em Guifões.

No final deste ano, a Linha do Minho ficará totalmente eletrificada, com a conclusão da intervenção no troço entre Viana do Castelo e Valença. Em julho do ano passado, foi ligada a corrente na ligação entre Nine e Viana do Castelo.

O líder da CP acredita que a operação na Linha do Minho poderá arrancar com “entre 12 e 18 carruagens”. Permitirá, por exemplo, renovar o interregional Porto-Valença, realizado com as automotoras UTD 592, alugadas a Espanha e que já contam com quase 40 anos.

Na Linha do Minho serão colocadas as carruagens Arco, que representam 36 unidades da mais recente aquisição da CP. “Andam a 200 km/h e até têm suspensão pneumática”, garantindo maior conforto para os viajantes.

CP saiu da emergência mas precisa de mais recursos

As carruagens Arco entraram ao serviço a partir de 1999 e algumas delas chegaram a funcionar no norte de Espanha até março deste ano, antes da pandemia. A congénere espanhola da CP, a Renfe, retirou este material de circulação por causa de placas de amianto, que serão removidas nas oficinas da Guifões durante a sua renovação.

Além das 36 carruagens Arco, a CP comprou outras 15 carruagens com diferentes formatos: duas carruagens em 1.ª classe com compartimentos; três em 1.ª classe com lugares sentados; seis com beliches; as restantes têm bar. As carruagens dormitório serão transformadas em carruagens-compartimento.

Mais material

Esta compra da CP a Espanha também vai servir para outras linhas ferroviárias nacionais. “Libertar automotoras elétricas (UTE) para reforços pontuais” é outro dos objetivos, assume Nuno Freitas.

As automotoras elétricas poderão servir para reforçar os serviços urbanos de Lisboa e do Porto da transportadora ferroviária, adiantou na segunda-feira o jornal Público.

O serviço internacional da CP também poderá vir a beneficiar com este negócio, “em função das discussões com a Renfe” para o futuro destas ligações, suspensas desde meados de março e que não serão retomadas a partir de hoje, apesar da reabertura das fronteira.

Em dois anos, a CP vai passar de 102 para 181 carruagens. Além do material comprado a Espanha, incluem-se carruagens Sorefame e Schindler, em renovação em Guifões.

1
1