www.publico.ptpublico.pt - 1 jul 09:09

Carrozo criou autocolantes solidários, “os pirilampos mágicos “queer””

Carrozo criou autocolantes solidários, “os pirilampos mágicos “queer””

Para celebrar o Mês do Orgulho LGBTI, o artista português Carrozo criou um autocolante de apoio à comunidade LGBTI+. Os stickers, que o artista descreve como “pirilampos mágicos queer”, estão à venda e o valor reverte inteiramente a favor de duas as

Um autocolante solidário que é um donativo para as associações LGBTI+ do país: é este o conceito por detrás do projecto de arte urbana Santuário, criado pelo artista Carrozo, em Lisboa. Os stickers podem ser comprados na ILGA Portugal ou no CheckpointLX e custam dois euros — o valor reverte inteiramente a favor destas associações.

Tudo começou numa marcha do orgulho em Lisboa, em 2016. “Queria comprar uma bandeira de arco-íris, mas não encontrava em lado nenhum. Senti que não era capaz de mostrar aquele símbolo e vi isso como um problema de marketing.” Em 2019, Matthew Carrozo, português nascido nos Estados Unidos da América, decidiu chegar-se à frente. “Eu tinha lido uma entrevista do artista Geco, que tem o seu nome espalhado pela cidade, e o propósito dele era meio egoísta, dizia que queria que o nome dele não fosse ignorado em lado nenhum. E pensei: vou usar essa técnica, mas criar um símbolo mais local”, explica ao P3. Alicerçando-se na sua formação em marketing e comunicação, decidiu marcar a diferença e “fazer algo mais artístico” em Lisboa, “uma cidade de arte urbana”.

Surgiu assim o projecto Santuário, um design de autocolantes “verdadeiramente queer: brilhantes e estranhos, podiam passar facilmente despercebidos mas, uma vez vistos, eram inconfundíveis.” Ao início, a ideia era espalhá-los por Lisboa, mas, depois de 284 stickers colados pela cidade, concluiu que o impacto não era suficiente e, mais tarde, apercebeu-se de uma realidade que acabou por lhe mudar os planos. “No final de 2019, a Câmara Municipal de Lisboa começou a limpar a cidade de grafittis e autocolantes e pensei que a altura para fazer um projecto destes estava a passar. Entretanto, a pandemia cancelou os planos todos e pensei que Junho, com o Mês do Orgulho LGBTI, era uma boa altura para angariar fundos”, afirma. 

“Apercebi-me de que os autocolantes poderiam ser os pirilampos mágicos queer”, diz Matthew Carrozo, que decidiu doar os stickers a duas associações para que estas os vendessem: a ILGA Portugal (que promove a Linha LGBT — um serviço telefónico para encaminhar pedidos de apoio à comunidade) e o CheckpointLX (um centro comunitário do Grupo de Activistas em Tratamentos que faz o rastreio anónimo ao VIH e outras infecções sexualmente transmissíveis). Cada autocolante custa dois euros, valor que reverte directamente para as actividades das associações.

O artista assume uma vontade de criar mais e não esconde o “bichinho” de alargar o projecto a outras cidades. “Começou por ser uma coisa muito local, consegui criar um símbolo para Lisboa, mas não tem a ver com centralismo nem por ser a capital”, ressalva. Este é o primeiro projecto de Carrozo enquanto artista, que se assumiu como tal na sua newsletter semanal, lançada às sextas-feiras. “Na última sexta-feira decidi sair do armário e anunciar ao mundo que sou artista. Espero este Verão acabar mais dois ou três projectos.”

Mais populares
  1. A carregar...

Texto editado por Ana Maria Henriques

1
1