rr.sapo.ptOpinião de Ribeiro Cristovão - 1 jul 07:37

Os adivinhos

Os adivinhos

Luís Filipe Vieira, perdido no seu labirinto, não tem, por agora, uma nova luz que o inspire e ajude a resolver o intrincado problema da escolha de um novo treinador.

O Benfica está numa encruzilhada da qual vai ter muita dificuldade em sair. Daí que os próximos dias sejam determinantes para se poder apurar, com alguma segurança, sobre o que vai ser a coletividade da Luz.

Recorrendo a um treinador de recurso, nada garante que a prestação da sua equipa principal possa ser alterada nos jogos do campeonato que vêm a seguir no calendário. É que a equipa, também ela ou sobretudo ela, está igualmente muito traumatizada por tudo quanto tem acontecido, e a colocou perante um cenário suscetível de inspirar pouca confiança.

Luis Filipe Vieira, perdido no seu labirinto, não tem, por agora, uma nova luz que o inspire e ajude a resolver o intrincado problema da escolha de um novo treinador.

Veríssimo é apenas e só um elemento de recurso, dele não sendo legítimo esperar o milagre de alterar o caminho que vem sendo seguido jogos atrás de jogos, com resultados maus e exibições ainda piores.

O líder benfiquista continua por isso na dúvida sobre quem poderá contratar para timoneiro de um barco quase a naufragar, embora não seja escasso o campo onde pode escolher.

A nível nacional, já se sabe, as opções são limitadas. Não há muitos nomes disponíveis, e o mais forte fez ainda há pouco tempo um manguito a Vieira quando este lhe acenou com milhões e a promessa de voltar a tempos de glória.

E, lá fora, a imagem atual do Benfica também não ajuda muito. Aquela ideia segundo a qual treinar o glorioso clube da águia era um sonho desvaneceu-se, porque nos dias de hoje tudo quanto acontece cá dentro chega aos olhos e ouvidos de toda a gente por esse mundo fora, poucos segundos depois.

Apesar disso há sempre os “mais bem informados”, os possuidores de requintadas fontes, apenas transformados em adivinhos de ocasião.

Ficamos todos à espera que esses iluminados atirem para a ribalta mais uma mão cheia de nomes para assim se entreter o pagode nos dias que vão seguir-se.

1
1