rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 30 jun 19:15

Bruno Lage "deveria ter saído após os empates com o Tondela e Portimonense"

Bruno Lage "deveria ter saído após os empates com o Tondela e Portimonense"

O antigo vice-presidente entrega o campeonato ao FC Porto, mas avisa que é preciso garantir o acesso às eliminatórias da Liga dos Campeões. Recusa eleições antecipadas e mantém fidelidade a Luís Filipe Vieira.

Bruno Lage deveria ter saído do comando técnico do Benfica após os empates com o Tondela e com o Portimonense, pois nessa fase "ainda se estava a tempo de salvar alguma coisa". A leitura é de José Manuel Antunes, ex-vice presidente do clube da Luz.

Em declarações a Bola Branca, o antigo dirigente, diz "adeus definitivo" à conquista do campeonato que "teve na mão", considerando até que as águias conseguiram "fazer pior" que o FC Porto. Esperando que este momento seja rapidamente ultrapassado, aponta a "uma alegria na fina da Taça de Portugal" e recorda que "é importante a manutenção do 2.º lugar", que dará acesso às eliminatórias para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

José Manuel Antunes aponta a Lage o erro repetido por Rui Vitória, após a conquista do campeonato, ou seja, a alteração do sistema tático.

"Depois de ganharmos os campeonatos em 4x4x2, passamos a jogar em 4x3x3. Foi com essa mudança de sistema de jogo que o Benfica começou a fraquejar", sustenta o antigo dirigente.

A continuidade de Vieira e as eleições

O presidente do Benfica, ainda na Madeira, anunciou uma conversa com a família para decidir o seu futuro à frente do clube. Antecipando eleições ou não, confirmando a sua intenção de se recandidatar ou não. José Manuel Antunes lança um apelo aos adeptos, recordando "a gratidão por este ciclo fantástico" conduzido por Luís Filipe Vieira.

O empresário não vê a "necessidade, nem o sentido" de dramatizar "um momento em que as coisas estão crispadas", esperando por isso que a corrida eleitoral ocorra apenas em Outubro.

José Manuel Antunes descredibiliza os anunciados candidatos, considerando que por não ter anos suficientes como associado, Bruno Costa Carvalho não reúne condições para se habilitar.

Já sobre Rui Gomes da Silva, explica que a "campanha interna" feita quando esteve ao lado de Luís Filipe Vieira foi incorreta, assumindo mesmo que "não foi uma forma credível de estar na vida". Por isso, espera que o atual presidente não desista e que a "nação benfiquista lhe reconheça o mérito de gratidão por tudo o que tem feito" no clube da Luz.

1
1