expresso.ptexpresso.pt - 30 jun 15:48

O boletim da DGS à lupa: número de internados aumenta pelo terceiro dia consecutivo, o que já não acontecia há quase dois meses

O boletim da DGS à lupa: número de internados aumenta pelo terceiro dia consecutivo, o que já não acontecia há quase dois meses

Em Lisboa e Vale do Tejo, que concentra 82% dos novos infetados nas últimas 24 horas, os concelhos com mais novos infetados são Sintra (54), Lisboa (49), Amadora (31), Vila Franca de Xira (23), Oeiras (17), Loures (15), Cascais (10) e Mafra (10)

O boletim diário da Direção-Geral da Saúde, referente a segunda-feira, dá conta de mais oito mortes por covid-19 e 229 novos infetados. Há mais 300 pessoas recuperadas da doença.

Trata-se do número mais baixo de novos infetados desde o dia 14 de junho. É também o dia com mais mortes registadas desde 6 de junho, quando morreram nove pessoas com a doença.

Há mais duas pessoas internadas devido à covid-19 do que na véspera: são agora 491, um aumento de 0,4%. Trata-se de um número pouco significativo, mas que dá origem a um dado mais relevante: são já três dias seguidos de crescimento consecutivo, o que não sucedia desde o início de maio (dias 5, 6 e 7).

Estas 491 pessoas constituem um novo máximo do mês, superando o valor de segunda-feira (48). Somando os valores destes três dias chega-se a 49 novos internados, o que constitui um crescimento de 11% nesse período de tempo. Este dado é também consistente com a necessidade que alguns hospitais da área metropolitana de Lisboa têm tido de transferir doentes com covid-19. Entre os mais sobrecarregados estão o Beatriz Ângelo, em Loures, e o Amadora-Sintra.

Quanto aos infetados em unidades de cuidados intensivos, em Portugal, há mais duas pessoas a registar do que na véspera (73 em termos absolutos, +2,8%). A 1 de junho, o valor era inferior (64) e chegou a ser de apenas 55 no dia 8.

Há menos 44 pessoas à espera de resultados laboratoriais, mas o número total ainda continua avultado - 1.454. Já sob vigilância pelas autoridades estão 31.414 pessoas no país, mais 104 do que na véspera.

Lisboa e Vale do Tejo abaixo dos 200 novos casos

A região de Lisboa e Vale do Tejo concentra 82% do total de novos casos a nível nacional. Isso resulta de serem residentes na região 188 dos 229 novos infetados.

Pela primeira vez nos últimos oito dias, o valor dos novos infetados na região fica abaixo dos 200. Tal já não acontecia desde dia 22, uma segunda-feira. Foi apenas a quinta vez este mês que tal sucede, sendo as restantes três respeitantes ao primeiro terço do mês (dias 1, 2 e 8).

Em Lisboa e Vale do Tejo, os concelhos com mais novos infetados são Sintra (54), Lisboa (49), Amadora (31), Vila Franca de Xira (23), Oeiras (17), Loures (15), Cascais (10) e Mafra (10).

Em termos de distribuição regional, a situação mantém-se estável. A Lisboa seguem-se o Norte (20 novos casos), o Centro (10), o Alentejo (7), o Algarve (3) e a Madeira (1, ao fim de oito dias sem casos). Os Açores não têm novos infetados.

Em termos absolutos, o boletim da DGS revela que Lisboa e Vale do Tejo lidera em casos com 19.165 (e 473 mortes). Seguem-se Norte (17.521 casos, 818 óbitos), Centro (4.110, 248), Algarve (618, 15), Alentejo (484, 7), Açores (150, 15) e Madeira (93, 0).

Os concelhos com mais casos de infeção, os únicos acima dos mil casos, são Lisboa (3.502), Sintra (2.668), Loures (1.827), Vila Nova de Gaia (1.650), Amadora (1.697), Porto (1.414), Matosinhos (1.292), Braga (1.256), Odivelas (1.101) e Gondomar (1.093). Maia está perto do milhar com 950 casos identificados.

As balizas temporais com mais casos dizem respeito aos cidadãos com idades compreendidas entre 20-29 e 30-39, com 44 novos casos cada. Segue-se a faixa etária 40-49, com 31. Acima dos 60 anos registam-se 56 novas infeções identificadas, enquanto até aos 19 anos registaram-se 27. Separando por faixa etária, os casos confirmados (e os novos das últimas 24 horas) ficam assim:

0-9 anos: 1.232 (+15)
10-19: 1.723 (+12)
20-29: 6.146 (+44)
30-39: 6.721 (+44)
40-49: 7.013 (+31)
50-59: 6.616 (+26)
60-69: 4.339 (+25)
70-79: 3.039 (+15)
+80: 5.267 5.283 (+16)
Desconhecido: 29

Cinco das oito mortes eram doentes com mais de 80 anos, sendo que as restantes foram dois doentes entre 70-79 anos e outro paciente com 60-69 anos. Cinco ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, duas no Alentejo e outra na região Norte. De acordo com o boletim da DGS, os óbitos e novos óbitos distribuem-se assim:

0-9 anos: 0
10-19: 0
20-29: 2
30-39: 2
40-49: 18
50-59: 50
60-69: 144 (+1)
70-79: 304 (+2)
+80: 1.056 (+5)

1
1