expresso.ptexpresso.pt - 30 jun 19:16

Aeroporto do Montijo é para avançar apesar da pandemia, assegura Pedro Nuno Santos

Aeroporto do Montijo é para avançar apesar da pandemia, assegura Pedro Nuno Santos

Num debate em que a intervenção do Estado na TAP esteve no centro da discussão, o ministro das Infraestruturas assegurou que o aeroporto do Montijo é para avançar e não será travado pelo impacto da pandemia no sector da aviação

"Achamos que o Montijo deve avançar, a nossa expetativa é que o sector recupere. Temos de dar resposta à lotação do Humberto Delgado", afirmou o ministro Pedro Nuno Santos sublinhando, porém, que a construção de um novo aeroporto está dependente dos pareceres favoráveis dos municípios que serão afetados pela infraestrutura.

Não será a pandemia que irá travar a construção do aeroporto do Montijo, um aeroporto complementar ao Humberto Delgado, e que estava em suspenso antes da pandemia de covid-19 por causa de pareceres desfavoráveis das câmaras da Moita, Seixal, Sesimbra, Setúbal e Palmela.

“São necessários pareceres dos municípios e há uma parte dos municípios da área afetada pelo aeroporto [do Montijo], positiva e negativamente, que ainda não mudaram a sua posição. […] Temos este bloqueio que falta resolver”, admitiu o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, na comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, na Assembleia da República.

“Em última instância, precisaríamos obviamente do parlamento para repensar a forma como se decide e se condiciona a decisão. […] Até agora, não nos pareceu que houvesse disponibilidade para alterar [a lei que obriga a parecer positivo de todos os municípios afetados], por isso, dependemos do parecer favorável de vários municípios”, acrescentou o governante.

Pedro Nuno Santos disse ainda que o projeto para aumentar o Aeroporto Humberto Delgado, na Portela, Lisboa, está condicionado pela resolução do problema do Montijo. “É uma solução fechada com os dois [projetos] e, por isso, uma depende da outra”, esclareceu.

Segundo a Declaração de Impacto Ambiental do aeroporto do Montijo, cinco municípios comunistas do distrito de Setúbal emitiram um parecer negativo à construção do aeroporto no Montijo (Moita, Seixal, Sesimbra, Setúbal e Palmela) e quatro autarquias de gestão socialista (Montijo, Alcochete, Barreiro e Almada, no mesmo distrito) deram um parecer positivo.

Em 8 de janeiro de 2019, a ANA e o Estado assinaram o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, com um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 para aumentar o atual aeroporto de Lisboa e transformar a base aérea do Montijo num novo aeroporto.

1
1