expresso.ptexpresso.pt - 23 mai 11:48

Vice da Comissão quer subsídios a fundo perdido para Portugal. Mas Berlim exige reformas

Vice da Comissão quer subsídios a fundo perdido para Portugal. Mas Berlim exige reformas

Merkel aceita pagar para ajudar o Sul (mas com condições). Comissário Valdis Dombrovskis defende subvenções a fundo perdido, em entrevista ao Expresso

O vice-presidente executivo da Comissão Europeia não tem dúvidas de que Portugal deve ser um dos beneficiários das subvenções do novo Fundo de Recuperação, que Bruxelas apresentará na próxima quarta-feira, juntamente com a revisão do Orçamento Comunitário para 2021-27. "Essa é a intenção, porque vemos que, no caso de Portugal, a dívida pública está a subir substancialmente. Este ano deverá ultrapassar os 131% do PIB", afirma Valdis Dombrovksis ao Expresso, sublinhando que o Instrumento "terá uma forte componente de subsídios", para apoiar o investimento dos países sem lhes pesar na dívida, e essa é uma questão fundamental a sul, sobretudo em Itália e Espanha, os dois países mais afetados.

Contudo, não será dinheiro grátis, nem sem condições. A recente proposta franco-alemã para um criar fundo de 500 mil milhões de euros prevê que "os Estados-Membros se comprometam a seguir boas políticas económicas e uma agenda ambiciosa de reformas". Berlim quer que o dinheiro seja transferido para as regiões e setores mais afetadas pela pandemia seja gasto de forma orientada para o futuro, em linha com as novas prioridades europeias como o digital e a economia verde. A ideia não é transferir dinheiro a fundo perdido para repor o que estava, mantendo práticas do passado, mas garantir que as transferências - que não são empréstimos - vão contribuir para uma modernização da estrutura económica. Fonte alemã adianta que cabe à Comissão Europeia propor agora os critérios de atribuição de verbas e aos 27 decidir as condições.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.

1
1