expresso.ptDaniel Oliveira - 23 mai 10:26

A doença holandesa

A doença holandesa

O facto da Holanda partilhar uma moeda com economias mais frágeis oferece-lhe excedentes que nunca teve fora do euro

O primeiro-ministro holandês deu mais um ar da sua graça, fazendo o papel de polícia mau que garantirá que o ponto de equilíbrio dos apoios europeus ficará entre a tragédia e o inferno para os países que veem todos os seus indicadores económicos caírem a pique desde o nascimento do euro: “Quando alguém quer ajuda, tem de fazer reformas abrangentes para que da próxima vez seja capaz de cuidar de si próprio.” Como todos os populistas, Mark Rutte usa o senso comum para se proteger. Mas não esconde o paternalismo xenófobo: se os madraços do sul se soubessem governar como quem lhes paga as contas estariam como nós.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.

1
1