expresso.ptDurão Barroso - 23 mai 10:07

“In Memoriam”, José Cutileiro

“In Memoriam”, José Cutileiro

Antigo presidente da Comissão Europeia lembra o longo caminho de trabalho comum com o falecido embaixador, iniciado em 1987 e que se prolongou até aos tempos em que liderou a União Europeia. Durão realça a sua vasta cultura e o intelecto cético

Por José Cutileiro, que morreu no passado domingo, dia 17 de maio, em Bruxelas, com 85 anos, eu tinha sincera amizade e admiração.

A amizade reforçou-se muito durante os quase 10 anos em que José Cutileiro foi meu conselheiro especial na Comissão Europeia e durante o convívio que eu próprio e a minha mulher, Margarida, mantivemos com o Zé e a Myriam, a qual também trabalhou na Comissão.
No plano pessoal, não posso esquecer, além da solidariedade em tantos momentos da minha vida pol��tica e pós-política, o muito sentido e comovente In Memoriam que José Cutileiro escreveu nas páginas do Expresso assinalando a morte da Margarida.

Depois da sua colaboração comigo na Comissão, até ao fim, e com uma regularidade e pontualidade quase sem falhas — e desculpava-se quando muito raramente havia algum atraso —, foi-me enviando os seus “bloco-notas” (o último, a que deu o título de “Outra vez a Avó Berta”, é de 11 de abril, já ele estava muito doente) e a propósito deles trocávamos opiniões e comentários sobre Portugal, a Europa e o mundo.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.

1
1