expresso.ptexpresso.pt - 23 mai 13:53

Japão quer extraditar os dois homens que ajudaram na fuga de Carlos Ghosn

Japão quer extraditar os dois homens que ajudaram na fuga de Carlos Ghosn

Os dois homens que foram detidos por terem estado envolvidos na fuga do presidente da Nissan podem enfrentar penas de quatro anos de prisão no Japão

O caso da espetacular fuga de Carlos Ghosn, ex-presidente da Nissan, do Japão conheceu novos desenvolvimentos esta semana depois de terem sido detidos nos Estados Unidos da América dois homens, pai e filho, suspeitos de terem ajudado Carlos Ghosn. Agora, o Japão quer os dois homens extraditados, para serem julgados no Japão. Uma intenção que pode esbarrar na vontade dos EUA, avança o Financial Times.

A decisão de extraditar Michael Taylor, um ex-boina verde (corpo especial do Exército dos EUA) de 59 anos e especialista em segurança privada, e o seu filho Peter Taylor, de 27 anos, poderá depender, em última análise, do Departamento de Estado norte-americano. “É uma decisão política” em última análise, diz ao jornal um antigo procurador.

A fuga de Ghosn, dentro de grandes caixas pretas transportadas por jato privado, está cheia de pormenores e de envolvidos. Os dois americanos terão também feito parte da trama, acredita a justiça japonesa uma vez que aparecem, um dia antes da fuga, em imagens de videovigilância num hotel de Tóquio à conversa com o ex-presidente da Nissan.

Detidos nos Estados Unidos, os dois homens enfrentam uma pena de prisão que pode ser superior a quatro anos se forem extraditados para o Japão, algo que os advogados dos dois recusam.

"Michael Taylor é um veterano de guerra e um patriota distinto. Ele e o seu filho merecem uma audiência completa e justa sobre essas questões, tanto nos tribunais quanto no poder executivo", disse o advogado dos dois homens.

1
1