expresso.ptexpresso.pt - 23 mai 12:52

Covid-19. Pacote de apoio à aviação marca passo

Covid-19. Pacote de apoio à aviação marca passo

Aviação emprega cerca de 25 mil pessoas. Empresas continuam à espera de ajuda, mas não têm qualquer sinal do Governo

A TAP é a face mais visível do sector da aviação em Portugal, mas não é a única empresa a necessitar de um plano de ‘regaste’, já que toda a indústria está praticamente parada desde que, em meados de março, foi decretado o confinamento. A pedido do Governo, o regulador do sector, a ANAC, recolheu um conjunto de propostas feitas pelas empresas com o objetivo de mitigar os efeitos da pandemia. Uma parte relevante delas passa pela suspensão ou redução das taxas aeroportuárias. Ora, isto exige a intervenção do Governo, já que tem de haver negociações com a ANA, a concessionária dos aeroportos portugueses. As propostas seguiram há cerca de dois meses da ANAC para os Ministérios das Infraestruturas, Economia, Trabalho e Segurança Social. Mas, até agora, nenhuma delas viu a luz do dia. Algumas precisam de alterações legislativas. Outras terão de ser discutidas em Bruxelas.

O Governo tem-se fechado em copas, e pouco ou nada diz sobre este assunto, que foi apelidado de superpacote, e o Expresso noticiou que poderia chegar aos €1000 milhões. Esta semana no Parlamento, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, admitiu que algumas das medidas que forem aplicadas à TAP serão estendidas ao resto da indústria. Mas não se alargou.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.

1
1