www.computerworld.com.ptComputerworld - 22 mai 08:00

Construir o Futuro: como as TIC viabilizam cidades plenas de vida

Construir o Futuro: como as TIC viabilizam cidades plenas de vida

Com a urbanização global em constante aceleração, hoje, 50% da população e 70% do Produto Doméstico Bruto (PDB) provêm das cidades.
Jason Li, Vice President of Public Affairs and Communications Department, Western Europe, Huawei Technologies.

Subsequentemente, as cidades confrontam-se com a pressão acumulada dos desafios associados à crescente urbanização: segurança pública, desequilíbrio de recursos, congestão do tráfego, poluição ambiental e falta de energia, só para mencionar alguns. Para lidar com alguns desses desafios, o conceito de Smart City foi desenvolvido como uma estratégia para o desenvolvimento urbano sustentável com impacto direto no modo de vida de uma região.

Abordar os desafios da globalização

Um número crescente de países em todo o mundo estão a construir Smart Cities com base numa variedade de tecnologias TIC de ponta, como é o caso da computação em nuvem, a Internet of Things (IoT), Big Data e mobilidade. Estas tecnologias agregam, partilham e convergem recursos em toda a cidade para fornecer serviços em tempo real, eficientes e com base em informação inteligente. Portanto, as Smart Cities estão a reconfigurar as formas como os serviços públicos são fornecidos e geridos, transformando o modo como os residentes viajam, trabalham, estudam, interagem, consomem produtos e serviços e se divertem.

No setor da Smart City, a Huawei trabalha com parceiros para desenvolver soluções state-of-the-art numa variedade de indústrias, incluindo a segurança pública, energia, transporte, educação, saúde e universidades. Desde inovações tecnológicas à criação de uma plataforma aberta, a Huawei visa construir um ecossistema de Smart City abrangente. Servindo à volta de 100 cidades em mais de 40 países, a Huawei, atualmente, disponibiliza uma ampla gama de produtos e soluções TIC, incluindo módulos de comunicações IoT e sistemas operativos, com acesso por cabo ou wireless, redes ágeis, centros de dados distribuídos em nuvem e plataformas de Big Data.

A tecnologia serve de alavanca estratégica para o desenvolvimento urbano

Os líderes de Smart Cities em todo o continente estão a começar a abraçar a tecnologia não como um centro de custos associado apenas à eficiência operacional, mas como um investimento estratégico associado a resultados programáticos, novos serviços e desenvolvimento económico. A parceria europeia de inovação em cidades e comunidades inteligentes (EIP-SCC), por exemplo, é uma iniciativa apoiada pela Comissão Europeia que reúne cidades, indústria, pequenas empresas, bancos, pesquisa e investigação, e outros. O objetivo é melhorar a vida urbana por meio de soluções integradas mais sustentáveis ​​e dar resposta aos desafios específicos das cidades a partir de diferentes áreas da política, tais como energia, mobilidade e transporte, e TIC.

Empresas e residentes que operam na economia digital global querem saber o que as cidades do futuro investimento continuado farão em termos de progresso nessas áreas, sendo que os turistas procuram uma cidade segura e fácil de navegar. Estes investimentos exigem um nível de inovação para testar tecnologias emergentes e a capacidade de trabalhar com novas combinações de parceiros, desde universidades a empresas operacionais e de TI, desde desenvolvedores do mercado imobiliário a projetistas urbanos, além de exigirem transparência e abertura aos impactos das novas tecnologias. Um número crescente de cidades europeias está, portanto, a trabalhar numa visão inteligente, ou já articulou uma, e as principais cidades demonstraram que o investimento nesta área pode levar ao sucesso. As cidades estão a usar o Open Data e os laboratórios vizinhos para testar tecnologias e trazer mais empresas do setor da tecnologia para a cidade, além de oferecer benefícios gratuitos ao público, tais como WiFi de alta velocidade.

A parte interessada mais importante numa cidade? Os seus residentes

Além das camadas de tecnologia, uma Smart City requer uma representação e integração adequadas das várias partes interessadas ​​da cidade (por exemplo, setor público, projetistas e desenvolvedores, serviços, provedores de TIC e infraestruturas, empresas privadas e investidores), sendo os residentes a parte interessada mais importante. Como resultado, a implementação da Smart City é um empreendimento socio-técnico complexo que exige a incorporação sistemática de componentes organizacionais, financeiras, sociais, operacionais, tecnológicas e psicológicas no contexto de ambientes, tais como o humano, social, empresarial, político e físico, em que serão aplicadas.

As tecnologias de Smart City são fatores diferenciadores para as cidades que as implementam. A Huawei acredita que estas tecnologias e iniciativas desempenharão um papel vital para ajudar os munic��pios a resolver estes desafios crescentes e a competir com mais eficiência numa economia digital mundial. As Smart Cities exploram o poder da tecnologia e impulsionam a inovação local para criar empregos, oferecer uma vida segura e de elevada qualidade aos residentes, além de atrair talentos, turistas e visitantes. Para tal acontecer, no entanto, os líderes da cidade precisam de planos estratégicos concretos, estratégias de investimento e uma informação mais aprimorada sobre as melhores práticas para a implementação bem-sucedida de uma Smart City de forma a reduzir riscos e melhorar os resultados. O potencial impacto da transformação numa Smart City não deve ser subestimado. Com a população urbana atual e a projetada, estas soluções podem chegar à maioria das pessoas no mundo, oferecendo-lhes segurança e apoiando a maior parte do crescimento económico mundial. Com a melhoria da qualidade de vida como princípio fundamental das Smart Cities, cabe agora às cidades alavancar dados, tecnologia e pessoas para determinar as mudanças e redesenhar as suas cidades. A Huawei está empenhada em promover o desenvolvimento de plataformas de Smart City abertas, alcançando um melhor modo de vida e uma melhor indústria nas cidades de todo o mundo.

Por Jason Li, Vice President of Public Affairs and Communications Department, Western Europe, Huawei Technologies.

 Por Computerworld Tags
1
1