rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 22 mai 17:42

​Portugueses não estão a morrer mais, garante DGS

​Portugueses não estão a morrer mais, garante DGS

Taxa de mortalidade "está completamente dentro dos valores e dos parâmetros esperados”, afirma Graça Freitas.

Veja também:

A mortalidade global em Portugal está nos números normais para a época. A garantia foi deixada esta sexta-feira pela diretora geral da Saúde.

Graça Freitas respondia aos jornalistas depois de ter sido confrontada com os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que mostram que Portugal registou, entre 1 de março e 10 de maio, mais 1.964 mortes que no período homólogo de 2019.

A diretora geral da Saúde reconhece que, em abril, se registou um pico na mortalidade, mas diz que a covid-19 não foi a única causa.

“Comparada com os períodos homólogos e com o intervalo de confiança onde se situa a curva da mortalidade, está completamente dentro dos valores e dos parâmetros esperados”, garante.

Quanto às causas do aumento da mortalidade em abril, Graça Freitas diz que o novo coronavírus não foi o único responsável, acrescentando que os números devem ser analisados desde o início do ano até à atualidade.

“Nos primeiros meses, a mortalidade foi baixa. Depois houve uma pequena subida e agora estamos de novo dentro dos valores esperados”, sublinhou.

Portugal ultrapassou, esta sexta-feira, a barreira dos 30 mil infetados pelo novo coronavírus. O registo é de 1.289 mortos (mais 12 que na quinta-feira) e 30.200 casos (mais 288, aumento de 1%, o valor mais alto desde 8 de maio), segundo o boletim da Direção-Geral de Saúde (DGS).

O relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24h00 de quinta-feira, indica que há 7.590 pessoas recuperadas da Covid-19, mais 1.138 que no dia anterior (o segundo número mais alto desde o início da pandemia - pico a 18 de maio, com 1.794). O número de recuperados num dia ultrapassa o de novos casos.

Mapa da Covid-19
1
1