expresso.ptMiguel Calado Lopes - 26 mar 18:23

IV - Não me deem mais pormenores

IV - Não me deem mais pormenores

Woody Allen não acredita na vida depois da morte mas, pelo sim pelo não, leva uma muda. O que é verdade, segundo Antifonte (séc.IV aC), é que ninguém morre de boa vontade. É para afastar os medos individuais que hoje se partilham com os leitores do Expresso, para que não se fiquem a rir

Uma vez, um chefe de redação gritou “não me deem mais pormenores” quando, aflito para fechar o jornal a horas, não quis saber de mais nada, salvo erro, do número crescente de mortos num incêndio. Assim estou eu – não me deem mais pormenores. Primeiro, as más notícias - não há boas notícias; depois, as boas notícias - os cemitérios ainda não transbordaram. Pronto, está dito por que não quero que me deem mais pormenores. Adianto só alguns.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.

1
1