www.dinheirovivo.ptdinheirovivo.pt - 26 mar 19:54

ISQ: "Corrida aos supermercados não faz sentido"

ISQ: "Corrida aos supermercados não faz sentido"

O setor está a funcionar com toda a normalidade, garante o presidente do ISQ.

Não há qualquer razão que justifique a corrida aos supermercados por medo de rutura de stocks. O setor da distribuição está a funcionar com toda a normalidade e as operações logísticas estão a ser cumpridas, quer a nível nacional quer internacional, incluindo no que aos produtos perecíveis diz respeito.

A garantia é dada pelo ISQ, que mantém a sua rotina, embora com as adaptações impostas pelas medidas de contenção da pandemia, que continua a laborar nas instalações de Castelo Branco e a prestar serviços, nomeadamente relacionados com a certificação ATP, fundamental para a cadeia de fornecimento de produtos frescos e refrigerados “que no atual momento é crítica”.

“A obtenção de Certificado ATP (acordo relativo ao transporte internacional de géneros perecíveis e aos equipamentos especiais utilizados para esse transporte) é obrigatória para os equipamentos especializados, como câmaras frigoríficas montadas em veículos que realizam transportes nacionais e internacionais de produtos alimentares perecíveis em determinadas condições de temperatura e por isso investimos nesta nova infraestrutura de última geração”, explica Pedro Matias, presidente do ISQ.

O instituto sublinha ainda a vantagem garantida pelo novo túnel para ensaios a veículos de transporte de produtos alimentares nas instalações de Castelo Branco. “Este ativo é da maior importância no quadro da segurança alimentar no país e no transporte de mercadorias para o estrangeiro e, como tal, importante para a competitividade da economia portuguesa.”

Para os testes de alto rendimento, o ISQ criou ainda um laboratório específico para ensaios termodinâmicos, “sendo uma entidade acreditada para efetuar ensaios e certificações ATP, garantindo a preservação da qualidade dos produtos alimentares (congelados ou ultracongelados) durante o seu transporte”, explica.

“Temos de garantir que se um determinado produto tem de viajar a uma temperatura estabilizada de por exemplo -5 graus isso acontece em todo o percurso, estejam 40 graus de calor no Alentejo ou -30 de frio nos Pireneus”, junta Pedro Matias.

Em virtude da crescente procura no mercado, dado que cada vez mais os transportadores nacionais têm interesse neste tipo de transportes e o querem fazer nas melhores condições, “o ISQ decidiu construir um novo túnel de ensaios com capacidade para ensaiar dois semi-reboques TIR em simultâneo, o que vai permitir duplicar a nossa capacidade de resposta”, acrescenta o responsável.

No fundo, trata-se de um compartimento gigante onde é possível colocar, ao mesmo tempo, dois camiões TIR e efetuar, durante vários dias, todos os testes necessários para garantir que os alimentos viajam em condições regulamentares e de segurança.

“Em Castelo Branco o ISQ faz muitos testes para grandes construtores internacionais, caso da Carrier e Thermo king, trabalhando para países como Coreia do Sul, Alemanha, França, Espanha, Itália, Irlanda do Norte ou mesmo China, através de software próprio que desenvolveu para estes ensaios. Esta é uma área da maior importância para a competitividade do país e o ISQ já investiu nesta área mais de 3 milhões de euros e conta com uma equipa técnica altamente experiente e qualificada”, adianta o presidente do ISQ.

Por outro lado, o instituto desenvolveu uma inovadora aplicação de software que permite às autoridades, “através da simples leitura de um QR-Code, que é impresso no Certificado Internacional, detetar de imediato se o certificado é verdadeiro ou falso”, através de qualquer smartphone. “Podem sempre existir no mercado certificados falsos ou falsificados e esta app permite que qualquer autoridade (GNR, PSP, ASAE…) saiba em segundos se está perante um certificado verdadeiro. O que queremos é garantir a segurança dos alimentos e que os mesmos cheguem em condições aos consumidores finais”, explica o responsável.

E conclui: “As grandes transportadoras nacionais querem estar completamente legalizadas e cumprir todas as regras e esta nova infraestrutura vem dar resposta a isso. Por outro lado, as autoridades policiais estão também cada vez mais atentas a estas questões e fiscalizam fortemente este tipo de transporte.”

1
1