expresso.ptexpresso.pt - 26 mar 09:14

Covid-19. Hospitais privados pedem ao Estado “pagamento imediato” de dívidas

Covid-19. Hospitais privados pedem ao Estado “pagamento imediato” de dívidas

O montante global da dívida aos prestadores privados da rede de convencionados da assistência na doença aos militares ascende a cerca de 60 milhões de euros

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) pediu ao Ministério da Saúde, à ADSE e ao Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA) que procedam ao “pagamento imediato” das dívidas em atraso, avança o “Público” esta quinta-feira. Em causa estão cerca de 60 milhões de euros.

Segundo a APHP, num email enviado aos seus associados, “é absolutamente essencial que neste momento o Estado assuma as suas responsabilidades financeiras, pague as dívidas e faça os pagamentos de acordo com a lei”.

O impacto da pandemia do novo coronavírus é o principal motivo evocado. “Alertámos que nesta fase da atividade de todos os sectores é vital que a tesouraria não constitua um constrangimento que coloca tudo o resto em causa e os hospitais privados são uma das áreas que mais tem sido penalizada com os atrasos nos pagamentos do Estado”, lê-se.

Fonte do Ministério da Defesa Nacional, que tem a tutela da IASFA, confirmou ao jornal que “o montante global da dívida aos prestadores privados da rede de convencionados da ADM [assistência na doença aos militares] ascende a cerca de 60 milhões de euros, dos quais cerca de 93% referem-se a dívida contraída, na sua maioria, em anos anteriores”.

“Está a decorrer um processo negocial” com os maiores prestadores privados “para acordar os termos da regularização da dívida referida a 31 de dezembro de 2019”, adiantou ainda.

1
1