sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 26 mar 15:09

Testes rápidos que Espanha comprou à China não funcionam. Os que vêm para Portugal são diferentes

Testes rápidos que Espanha comprou à China não funcionam. Os que vêm para Portugal são diferentes

Laboratórios espanhois denunciaram falta de sensibilidade dos testes à covid-19. Ao contrário, os kits que vão chegar a Portugal não detetam anticorpos, mas o materia genético do vírus.

A palavra de ordem, segundo as recomendações da OMS, é testar. Os países cada vez têm encomendado mais testes para alargar o espetro de despiste a mais fatias da população.

Espanha, cujos números são cada vez mais preocupantes, é o segundo país com mais mortes de covid-19 no mundo e o quarto com mais infetados, comprou 340 mil destes kits à China, mas afinal os testes não são eficazes.

A denúncia foi feita por vários laboratórios, que alegam que a taxa de sensibilidade à doença de 30 por cento, quando deveria ser de mais de 80.

O Governo de Madrid encomendou os testes com o objetivo de alargar a despistagem, em primeiro lugar, profissionais de saúde e lares de idosos.

Assim como Espanha, Portugal também encomendou centenas de milhares de testes à China, mas os que vão servir o território nacional não são iguais aos do país vizinho, não se justificando por isso o receio da ineficácia.

Os testes de Espanha detectam anticorpos, substâncias produzidas pelo sistema imunitário em resposta ao virus, pelo contrário, os que Portugal baseiam-se, antes, na detecção do material genético do próprio vírus, segundo o jorna Público.

1
1