eco.sapo.pteco.sapo.pt - 26 mar 07:05

Veja a rede de apoio para médicos, enfermeiros ou polícias

Veja a rede de apoio para médicos, enfermeiros ou polícias

Os profissionais de saúde estão na linha da frente no combate ao vírus e não têm mãos a medir para o que aí vem, por isso estão a ser criadas condições especiais para eles.

Os profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros ou auxiliares, estão na linha na frente do combate ao novo coronavíus em Portugal. Por isso, estão a ser criadas condições especiais exclusivamente para eles, como gesto de agradecimento pelo papel que estão a desempenhar.

Desde horários exclusivos de atendimentos nos supermercados a alojamento e refeições gratuitas, conheça as iniciativas organizadas por diversas empresas e até pela sociedade civil.

Supermercados com horários exclusivos para profissionais de saúde

O retalho foi um dos primeiros setores a criar condições especiais para os profissionais de saúde. O Lidl, Mini Preço, El Corte Inglés, Intermarché e Aldi criaram horários de atendimento exclusivos para profissionais de saúde, bem como, para forças de segurança pública, bombeiros e proteção civil. As compras para estes clientes específicos podem ser feitas antes do horário de abertura ou após o fecho, variando de supermercado para supermercado. Mas para isso é necessário que cada profissional apresente um documento que o identifique.

Além disso, a Mercadona e o Auchan alargaram o atendimento prioritário, que, segundo a lei é destinado para idosos, grávidas, pessoas portadoras de deficiência e pessoas com bebés de colo, para estes grupo de profissionais.

Há quem esteja a disponibilizar habitações

Dado o aumento de casos confirmados em território nacional, há já vários médicos e enfermeiros que estão a evitar ir para casa, por forma a não contaminarem os seus familiares. Nesse sentido, o Olx decidiu, em parceria com a uppOut, criar uma plataforma que tem por objetivo ligar pessoas que tenham uma habitação vazia nas proximidades dos hospitais e que as queiram disponibilizar aos profissionais de saúde que precisem de um espaço para descansar, sem colocarem em risco a saúde dos familiares.

Enquanto marca não podemos recorrer aos alojamentos que estão disponíveis na plataforma, mas queremos e pretendemos sensibilizar todos os utilizadores que tenham casas de férias ou imóveis para arrendar a ceder esse espaço”, explica Andreia Pacheco, Brand Manager do OLX em Portugal.

O projeto solidário intitulado Acolhe um Herói é “uma forma de agradecimento a todos os médicos, enfermeiros e técnicos de saúde que têm estado na linha da frente a combater a Covid-19”, aponta a empresa de anúncios. Além disso, já foi criada uma versão internacional do projeto.

Mas esta é apenas um das iniciativas a circular pela sociedade civil. A Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP) e o Grupo Alojamento Local Esclarecimentos anunciaram há cerca de uma semana que estão a preparar um plano de cedência de alojamento a profissionais de saúde, em conjunto com a Direção Geral de Saúde (DGS) e outras entidades públicas. “Este plano de cedência tem como objetivo garantir uma gestão responsável, eficaz e segura de todo este processo”, e “no âmbito deste plano, está igualmente a ser delineado um modelo de condições dos serviços de limpeza e tratamento de roupa profissional do AL“, informa a ALEP, em comunicado.

O plano está ainda a ser estruturado, pelo que só deverá ser lançado quando reunidas todas as condições, mas assim que tiver “luz verde”, irá ser aberto “a todos os titulares, grupos ou entidades que queiram colaborar e ajudar a promover a iniciativa”, assinala Carla Costa Reis, fundadora do Grupo Alojamento Local Esclarecimentos, citada na nota.

Mas não são apenas empresas e instituições públicas a terem gestos de solidariedade para com os profissionais de saúde. Também no Facebook, há um grupo chamado “COVID19 – Alojamento / outro serviço SOLIDÁRIO para profissionais de saúde” e organizado pela sociedade civil que pretende disponibilizar gratuitamente casas a profissionais de saúde. Além disso, e dado o avançar da epidemia em Portugal, as ofertas estendem-se a outros bens, como viseiras ou outros objetos úteis para os profissionais de saúde.

Escolas do Turismo de Portugal oferecem refeições

Mas as ofertas não se cingem apenas ao alojamento. As escolas do Turismo de Portugal, em parceria com a Segurança Social, decidiram abrir as suas cozinhas para confecionarem 2.500 refeições por dia para instituições e profissionais de setores essenciais, como é o caso dos profissionais de saúde, bombeiros e forças de segurança.

Com 12 escolas de norte a sul do país, as refeições serão confecionadas pelos formadores das escolas, “em função das necessidades identificadas pela Segurança Social, e disponibilizadas às respetivas instituições em Lisboa, Porto, Douro/Lamego, Viana do Castelo, Oeste, Estoril, Portalegre, Setúbal, Vila Real de Santo António e Faro, onde se localizam as Escolas do Turismo de Portugal”, lê-se no comunicado divulgado esta segunda-feira.

Além disso, o Turismo de Portugal disponibiliza ainda, e “a custo zero”, alojamento nas suas escolas de Setúbal (20 quartos), Faro (14 quartos) e Lamego (7 quartos) para utilização por profissionais de saúde que não possam ou queiram regressar a casa por receio de contágio à família.

1
1