www.publico.ptpublico.pt - 26 mar 19:53

Greta Thunberg lança conversas online enquanto não se sai à rua pelo clima

Greta Thunberg lança conversas online enquanto não se sai à rua pelo clima

A activista está apresentou no Instagram as Talks For Future, conversas com direito a perguntas com especialistas pelo clima. Os primeiros convidados são Naomi Klein e Diarmid Campbell-Lendrum, já na sexta-feira, 27 de Março.

Como é que se faz activismo sem sair de casa? Para o movimento pelo clima  Fridays For Future, primeiro começa-se por levar os cartazes das manifestações para os ecrãs. Depois, organizam-se conversas abertas a todos (e com direito a perguntas) com especialistas como a activista e jornalista Naomi Klein e Diarmid Campbell-Lendrum, da Organização Mundial da Saúde.

As Talks For Future começam sexta-feira, 27 de Março, às 14h, e vão ser moderadas pelas activistas Greta Thunberg e Ariadne Papatheodorou. Os encontros semanais vão ser transmitidos em directo no YouTube, Twitter e Facebook do movimento, anunciou Thunberg, no seu perfil de Instagram.

Numa publicação anterior na mesma rede social, a activista sueca de 17 anos disse “ser extremamente provável ter tido covid-19”, depois de começar a ter tosse e arrepios e de se sentir cansada. Como não apresentava sintomas graves, e seguindo as normas aplicadas na Suécia, não chegou a fazer o teste para o diagnóstico da doença. O pai de Thunberg, que a acompanhou por uma viagem pela Europa Central semanas antes, também começou a desenvolver os mesmos sintomas associados à infecção pelo novo coronavírus, além de febre, relata a activista, que apela aos milhões de jovens que a seguem para se resguardarem.

“Nós que não pertencemos a um grupo de risco temos uma enorme responsabilidade, as nossas acções podem ser a diferença entre a vida e morte para muitos outros”, escreveu, adiantando que estava “quase recuperada”.

PÚBLICO - "Mesmo na situação em que infelizmente nos encontramos, a importância da luta pela justiça climática não diminui", acredita Inês Diogo, 14 anos. "Mesmo na situação em que infelizmente nos encontramos, a importância da luta pela justiça climática não diminui", acredita Inês Diogo, 14 anos. @_nosecondchance_ PÚBLICO - Portugal Portugal Enviada por Mariana PÚBLICO - @gretathunberg PÚBLICO - @prz.esada PÚBLICO - @nadja_kosir PÚBLICO - Activista pelo clima de 16 anos do Reino Unido, a fazer greve em casa Activista pelo clima de 16 anos do Reino Unido, a fazer greve em casa @elijahmckenzee PÚBLICO - @llvasp PÚBLICO - Rauma, Finlândia Rauma, Finlândia @_camillavirtanen_ PÚBLICO - @strecemilia PÚBLICO - @fridaysforfuture_sibiu PÚBLICO - @anjali_scherbatsky PÚBLICO - Vanessa Nakate, jovem activista ugandesa que participou no Fórum Económico Mundial, em Davos, na Suíça, em Janeiro. Vanessa Nakate, jovem activista ugandesa que participou no Fórum Económico Mundial, em Davos, na Suíça, em Janeiro. @vanessanakate1 PÚBLICO - Alemanha Alemanha @valerie.braun.319 PÚBLICO - Vestgrensa, Noruega Vestgrensa, Noruega @naturvernstudentene_uio PÚBLICO - @iidasavilaakso PÚBLICO - @mikejoecoffey PÚBLICO - Itália Itália @pingpingolani PÚBLICO - Manchester Manchester @mutualmillie PÚBLICO - @josephawalter PÚBLICO - Viena, Áustria Viena, Áustria @paul_da_gross PÚBLICO - @domipalmer PÚBLICO - @saviour.saras PÚBLICO - Jerusalém, Israel Jerusalém, Israel @efratguttman PÚBLICO - @kate_vosynioti PÚBLICO - Vietname Vietname @dinhphthngan2004 PÚBLICO - Barcelona Barcelona @andreybazan_ PÚBLICO - @save_earth.save_future PÚBLICO - @c_annen_ PÚBLICO - @jamarchavas PÚBLICO - @rocksrocksrocksrocksrocks Fotogaleria Mais populares
  1. A carregar...

Os protestos que começou há dois anos, e que ainda realiza toda as sextas-feiras, estão há duas semanas a decorrer online. “Numa crise, nós mudamos os nossos comportamentos e adaptamo-nos às novas circunstâncias pelo bem comum da sociedade”, disse, ao lançar o mote para os milhões de pessoas que se juntaram a ela, pelo mundo todo. "A crise climática e ecológica é a maior crise que a humanidade já enfrentou, mas, por agora e dependendo do sítio onde vivermos, teremos de encontrar novas formas de sensibilização e activismo que não envolvam multidões.”

1
1