sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 26 mar 19:27

As músicas do mundo de Sines só regressam em 2021

As músicas do mundo de Sines só regressam em 2021

O festival de world music que acontece em Sines e Porto Covo foi adiado para 2021.

A atual edição do Festival Músicas do Mundo (FMM), previsto entre 18 e 25 de julho, em Sines, Setúbal, foi cancelada por não estarem garantidas as condições sanitárias e logísticas devido à covid-19.

A Câmara Municipal de Sines, entidade organizadora, anunciou o cancelamento do festival de 'world music' por não estar garantido que, entre 18 e 25 de julho de 2020, "estejam reunidas as condições sanitárias e logísticas necessárias para realizar" a 22.ª edição do FMM, podia ler-se no comunicado. 

"Um festival que envolve a participação de artistas de todo o mundo, muitos deles de países em que a pandemia ainda se poderá agravar ao longo dos próximos meses, não seria uma experiência segura para quem nela participasse dos dois lados do palco", refere o município.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Sines, Nuno Mascarenhas, avançou que, na sequência das várias medidas que o município tem tomado nos últimos dias, face à pandemia da covid-19, "em cima da mesa sempre esteve o cancelamento" do FMM.

"Com o cancelamento de toda a atividade desportiva e cultural no concelho de Sines, é natural que o Festival Músicas do Mundo seria uma das atividades a cancelar. Aguentámos o máximo possível mas sendo um dos festivais que requer uma preparação muito atempada chegou o momento de tomar uma decisão", acrescentou.

De acordo com o autarca, "nesta fase o mais importante é evitar que o vírus se propague e que não existam muitos casos no concelho e no país e seria contraproducente avançar com a realização deste festival que traz a Sines muitos milhares de pessoas de todas as partes do mundo".

Tratando-se de um festival em recinto aberto, vivido nos centros urbanos de Sines e Porto Covo, no concelho de Sines, em contacto com a população, o perigo de propagação do vírus seria redobrado, sublinhou o município que garante o regresso do festival em 2021.

"Embora o país pudesse recuperar, até lá nada nos garantiria que nos outros países do mundo que estariam representados nesta edição do FMM isso não acontecesse. Para o bem de todos e dos funcionários da autarquia, que são a grande força de realização deste festival, e para os festivaleiros, e artistas era importante tomar a decisão de cancelar esta edição", ressalvou.

No anúncio público, o município adianta que, em breve, dará mais informações a respeito do reembolso dos bilhetes adquiridos para a edição deste ano.O festival contava no cartaz deste ano com Amadou & Mariam and Blind Boys of Alabama (Mali/EUA), Ava Rocha (Brasil), Mon Laferte (Chile), Niño de Elche (Espanha), Nitin Sawhney (Reino Unido), Rasha Nahas & Band (Palestina), Rhiannon Giddens with Francesco Turrisi (EUA / Itália) e Third World (Jamaica).

Para já, o FMM é o primeiro festival de verão a cancelar ou adiar o certame. No entanto festivais como o Tremor, nos Açores, ou o MIL, que acontece em diversas salas de Lisboa tiveram que ser cancelados devido ao clima de pandemia.

1
1