eco.sapo.pteco.sapo.pt - 26 mar 21:03

Lisboetas e portuenses são os que mais confiam no Governo

Lisboetas e portuenses são os que mais confiam no Governo

Segundo o barómetro da Marktest, mais de 89% dos residentes de Lisboa e Porto atribuem nota positiva à atuação do Executivo para gerir a pandemia, mas a avaliação é igualmente boa a nível nacional.

Quase nove em cada dez lisboetas os portuenses dão nota positiva à atuação do Governo na resposta à pandemia do novo coronavírus, segundo o Barómetro da Marktest, que conclui que, em termos globais, os portugueses confiam na atuação do Executivo liderado por António Costa.

Segundo a sondagem, “mais de 89% dos residentes de Lisboa e Porto” atribuem nota positiva à atuação do Executivo liderado por António Costa durante este período. “Apesar de uma certa homogeneidade dos resultados”, já que o Governo tem um “Índice Global de 72 pontos (numa escala de 0 a 100)”, os jovens, entre os 18 e os 34 anos, são os mais críticos relativamente à atuação do Governo, ao atribuírem 64 pontos, ou seja oito pontos abaixo da média nacional, revela o estudo.

Quanto ao Índice de Confiança na atuação do Governo o valor é igualmente alto, com a média nacional a situar-se nos 71 pontos, ou seja, sete em dez dos portugueses inquiridos avaliam positivamente a atuação do Executivo e sentem igualmente confiança nas suas decisões. “É junto dos residentes nas regiões da Grande Lisboa, Interior Norte, ambas com 73 pontos e do Sul (75 pontos), que se registam os índices de confiança elevados”, aponta a Marktest.

Entre os vários ministérios, o da Saúde e da Administração Interna alcançam valores igualmente positivos, ambos com 68 pontos.

Relativamente à transparência do Executivo, nomeadamente ao nível das informações veiculadas sobre a situação atual, o índice alcança um valor de 69 pontos.

Quase sete em cada dez portugueses têm medo de ter Covid-19

Apesar de estas avaliações serem positivas, não afastam, contudo, o receio dos portugueses relativamente ao perigo do novo coronavírus. Quase sete em dez portugueses (66%) têm receio de virem a ser contaminados, sendo que este medo é mais expressivo nas mulheres (73%) do que nos homens (69%).

Em termos regionais, é a região da Grande Lisboa, que manifesta maior receio de contaminação, 76%, face aos 66% a nacional.

1
1