expresso.ptexpresso.pt - 26 mar 08:09

Covid-19. “Atendendo às condições especiais”, Lusíadas Saúde reativa convenção com sistema de saúde dos militares

Covid-19. “Atendendo às condições especiais”, Lusíadas Saúde reativa convenção com sistema de saúde dos militares

Grupo hospitalar privado voltou a ter acordo de convenção com o IASFA, subsistema de saúde dos militares, cinco meses após a suspensão por causa de dívidas. Volte-face deve-se “às condições especiais” derivadas da pandemia de covid-19

Os militares já podem aceder aos hospitais e clínicas da Lusíadas Saúde ao abrigo da convenção deste prestador privado com a Assistência na Doença aos Militares (ADM), que está debaixo da alçada do Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA).

O acordo entre a Lusíadas Saúde e o IASFA, desfeito em outubro do ano passado por causa de uma dívida do organismo público de 7,8 milhões de euros, foi finalmente reativado, “atendendo às condições especiais que vivemos” por causa do surto de covid-19, revelou ao Expresso fonte oficial do grupo hospital privado.

No total, o IASFA já pagou 1,7 milhões de euros à Lusíadas Saúde, mas permaneciam entraves relativos à revalidação de parte das faturas em atraso no que respeita a atos e produtos que não têm o preço fixado. E, por isso, a suspensão da convenção mantinha-se.

Assim, os militares e a s suas famílias vão poder voltar a aceder aos cuidados prestados nas unidades Lusíadas em condições mais vantajosas, que são idênticas às da ADSE, subsistema de saúde dos funcionários públicos.

Decorre, até 2021, um plano de pagamentos para o IASFA saldar dívidas em atraso, que foi acordado entre os Ministérios da Defesa Nacional e o Ministério das Finanças.

1
1