expresso.ptexpresso.pt - 26 mar 10:38

Consumo de produtos petrolíferos em Portugal recuou 6,5% em fevereiro

Consumo de produtos petrolíferos em Portugal recuou 6,5% em fevereiro

Depois de já ter caído em janeiro, o consumo de combustíveis em Portugal recuou em fevereiro, revela o mais recente boletim do regulador da energia

O consumo de combustíveis em Portugal em fevereiro desceu 6,5% em relação a janeiro, totalizando 602,7 mil toneladas, depois de em janeiro já ter caído 4,4% face a dezembro, informou a ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos no seu boletim mensal de combustíveis.

"Durante o mês de fevereiro, registaram-se quedas, face a janeiro, nos consumos de todos oscombustíveis do cabaz de derivados do petróleo na ordem dos 6,5%", refere o boletim da ERSE. Esse cabaz inclui gasóleo, gasolina, GPL e "jet" (combustível de aviação).

Ainda assim, comparando as introduções ao consumo com igual período do ano passado, o volume de fevereiro está ainda 2,1% acima do de fevereiro de 2019.

Segundo a ERSE, em fevereiro "os preços médios de venda ao público dos combustíveis em Portugal sofreram uma redução, sobretudo devido ao impacto da pandemia de Covid-19 na economia global, refletindo-se numa redução de preço das commodities".

Ou seja, embora a doença só tenha tido propagação em Portugal em março, já em fevereiro o impacto da pandemia à escala global provocou uma queda na procura petrolífera e uma contração no preço do crude e dos refinados, que acabou por beneficiar também os consumidores portugueses.

Segundo a ERSE, os preços dos combustíveis rodoviários foram mais baixos nos postos de abastecimento operados por hipermercados, seguidos, dos low cost.

"Aveiro foi o distrito que registou os preços de gasóleo e gasolina mais baixos. Beja e Bragança, os mais caros.Vila Real continua a registar, para Portugal Continental, a garrafa de GPL (butano e propano) com o menor custo. Faro apresenta o mais elevado", indica o boletim da ERSE.

1
1