www.sabado.ptleitores@sabado.cofina.pt (Sábado) - 25 mar 07:10

Proteger e testar

Proteger e testar

Todos os dias amanhecem como se o tempo tivesse parado. Como se continuássemos a viver um pesadelo colectivo, à espera da mão salvadora de quem continua, sem ceder, na linha da frente. Na única linha. - Opinião , Sábado.
Escrevi, e repito, que a crítica e a análise às falhas devem sucumbir perante o tempo de emergência e combate. No entanto, não me peçam silêncio quando recebo todos os dias, e várias vezes ao dia, centenas de pedidos de ajuda de Enfermeiros que se sentem abandonados e desprotegidos na linha da frente. Falta material de protecção, exige-se que se use dias de férias em quarentena e forçam-se profissionais a gastar banco de horas quando estão de prevenção. Calar-me perante esta total falta de humanidade e respeito seria falhar redondamente aos Enfermeiros e ao País.

A uma Bastonária exige-se que zele pela qualidade e segurança dos cuidados prestados. Não existe segurança, nem qualidade, quando os profissionais ficam expostos, sem protecção, a um vírus que mal conhecemos. Cresce a incerteza, a dúvida e o medo de quem não virou as costas a Portugal e respondeu à chamada se hesitar. Temos de proteger quem cuida para cuidarmos com qualidade e segurança.

Neste momento exige-se, igualmente, uma atenção especial para com os mais velhos, mais vulneráveis e frágeis perante esta ameaça. É imperativo reforçar as equipas dos lares e dos cuidados continuados com mais enfermeiros, porque esta é a hora dos profissionais e não dos voluntários.

Chegou também a hora de massificar os testes. É urgente testar. As recomendações da OMS são claras quanto à necessidade imperativa de massificar os testes. Só identificando podemos controlar. Portugal precisa de saber quantos testes são feitos por dia. Só assim conseguiremos medir a real dimensão dos casos confirmados. É este o caminho, reforçar as equipas, proteg��-las e testar, testar, testar até à exaustão.
1
1