www.publico.ptpublico.pt - 25 mar 18:46

Quem vai ser testado? A quem se deve ligar? Onde será tratado? Tudo o que muda à meia-noite

Quem vai ser testado? A quem se deve ligar? Onde será tratado? Tudo o que muda à meia-noite

As novas regras entram esta quinta-feira em vigor e são para aplicar a todo o sistema de saúde: público, privado e social.

“Estamos em fase de mitigação”, afirmou esta quarta-feira a directora-geral da Saúde Graça Freitas. Mais precisamente, na fase em 3.2 do plano de contingência, “o que quer dizer que temos transmissão comunitária”. “Não é descontrolada, mas existe. É por esse motivo que vai entrar em vigor um novo plano para abordar a covid-19”, continuou. Ou seja, haverá uma generalização de testes e do atendimento a doentes covid-19 com todos os hospitais a prestar cuidados e os centros de saúde. E com grande parte dos doentes a serem seguidos em casa. As novas regras entram esta quinta-feira em vigor e são para a aplicar a todo o sistema de saúde: público, privado e social.

Quem é considerado caso suspeito?
Os critérios foram alargados. Antes para se ser validado como caso suspeito era preciso ter mais de um sintoma relacionado com a doença covid-19 e ter um link epidemiológico com uma zona de risco ou contacto próximo com um caso confirmado. Com as novas regras passa a ser caso suspeito quem tiver um destes sintomas: tosse persistente ou agravamento de tosse habitual; febre igual ou acima dos 38ºC; dispneia ou dificuldade respiratória.

O que devo fazer?
Deve ligar para a linha SNS24 de forma a ser atendido por um enfermeiro que irá aplicar o algoritmo relacionado com a infecção provocada pelo novo coronavírus e que fará uma avaliação da gravidade dos sintomas. Em alternativa pode ligar para as linhas telefónicas que estão a ser criadas nos centros de saúde e unidades de saúde familiares, onde poderá expor os sintomas a um médico de família ou enfermeiro de família que fará a avaliação.

Que encaminhamento posso ter?
De acordo com a avaliação dos sintomas, o doente pode ser encaminhado para:

  • Autocuidados, com isolamento em casa e sob vigilância, em caso de sintomas ligeiros;
  • Para avaliação médica em Área Dedicada Covid-19 (ADC) no centro de saúde, em caso de sintomas moderados;

  • Para avaliação médica em ADC no serviço de urgência, em caso de sintomas graves;

  • Para ligação directa com o INEM em caso de urgência.

Quem deve ser testado?
Todos os casos suspeitos devem ser testados. Segundo a norma, todos casos suspeitos devem ser registados no Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SINAVE), assim como os resultados das análises, sejam feitas por entidades públicas ou privadas e os resultados sejam negativos ou positivos.

Existem prioridades?
Se não for possível testar todos os casos suspeitos, a norma define prioridades:

  • Doentes com critérios de internamento hospitalar;

  • Recém-nascidos e grávidas;

  • Profissionais de saúde sintomáticos

  • Doentes com outras patologias como Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), asma, insuficiência cardíaca, diabetes, doença hepática crónica, doença renal crónica, cancro (doença activa) ou estados de imunossupressão;

  • Doentes em situação de maior vulnerabilidade, como residência em lares e unidades de convalescença;

  • Doentes com contacto próximo com pessoas com as doenças acima descritas.

A indicação é autocuidados. O que acontece?

  • Deve permanecer em isolamento em casa. A linha SNS24 irá avaliar se a habitação tem condições para isolamento; se não houver condições e não existir uma alternativa, será encaminhado pela linha para a ADC da urgência;

  • Será avaliado e monitorizado pela equipa de saúde do centro de saúde ou unidade saúde familiar. O seguimento será feito via telefone preferencialmente pelo seu médico de família. O contacto telefónico deverá acontecer até 24 horas após o contacto com a linha SNS24 ou a linha do centro de saúde;

  • As equipas de saúde pública fazem um inquérito epidemiológico para rastreio de contactos e para a implementação de medidas que considerem necessárias;

  • Será submetido ao teste para detecção de covid-19. É-lhe enviado por SMS a requisição do teste e o agendamento da colheita. Os centros de saúde têm indicação de quais os laboratórios disponíveis. A colheita da amostra, seja no domicilio ou em laboratório, e a realização do teste deve acontecer no prazo máximo de 48 horas após o contacto do doente;

  • Recebe a informação do resultado e indicações a seguir de acordo com o mesmo.

A indicação é avaliação médica no centro de saúde. O que significa?

  • Será encaminhado para a ADC que responde à sua zona de residência, informação que deve ser dada pelas câmaras municipais e autoridades de saúde locais e regionais;

  • Deverá existir pelo menos uma área destas em cada agrupamento de centros de saúde. Tem de estar bem sinalizada e ter circuitos diferentes da dos outros doentes para limitar o risco de contágio;

  • Se se considerar necessário, todo o centro de saúde pode ser transformado em área dedicada à covid-19;

  • O transporte para a ADC será feito em veículo próprio se possível. Quando necessário será activada uma ambulância, opção limitada para ocorrências em locais públicos ou a doentes que não tenham possibilidade de usar transporte particular;

  • São avaliados por um médico. Os que cumprirem critérios de internamento ou de avaliação na urgência são encaminhados para o hospital. O que não precisam, são submetidos a teste no local indicado e depois informados do resultado e têm indicação para ficar em isolamento em casa com vigilância;

  • Aqueles que não têm condições de habitabilidade e exequibilidade do isolamento são encaminhados para a ADC da urgência.

O que são condições de habitabilidade do isolamento no domicilio?

  • Ter telefone ou telemóvel facilmente acessível;

  • Termómetro;

  • Quarto separado ou cama individual para o doente; se não for possível, o doente tem de usar máscara cirúrgica;

  • Acesso a casa de banho, preferencialmente individual;

  • Água e sabão para higiene das mãos e produtos de limpeza doméstica;

  • A existência de um cuidador, de acordo com a avaliação clínica;

  • Não ser recém-nascido ou pessoa imunossuprimida ou grávida;

  • Não residir com pessoas imunossuprimidas ou grávidas.

A indicação é a urgência. Como está pensado?

  • Todos os hospitais têm uma área dedicada na urgência e nos internamentos para doentes de covid-19, com sinalética e circuitos próprios;

  • Os doentes encaminhados pela linha SNS24 ou pelo centro de saúde devem deslocar-se em carro próprio ou em ambulância; Pode haver encaminhamento do INEM;

  • Todos os doentes são avaliados por um médico e sempre que considerados suspeitos realizam teste;

  • Se não cumprirem os critérios de internamento e tiverem condições em casa são encaminhados para isolamento no domicílio onde esperam pelos resultados laboratoriais e seguimento clínico;

  • Os que têm indicação para internamento devem ficar em enfermarias dedicadas ou em cuidados intensivos de acordo com a gravidade da situação. Também estas últimas devem estar organizadas de forma a terem áreas só para doentes covid;

  • Pode haver alta antecipada se os doentes cumprirem vários critérios, assim como a opção de hospitalização domiciliária;

  • No caso das crianças, o encaminhamento continua a ser feito para os hospitais de referência já designados (São João, Pediátrico de Coimbra, Dona Estefânia, Faro, Nélio Mendonça e Santo Espírito). Se esgotada esta capacidade, outros hospitais devem organizar os serviços de pediatria para terem áreas dedicadas a doentes covid-19.

Doentes falecidos devem ser testados?
Casos em que o doente tenha apresentado sintomas relacionados com a covid-19 devem ser testados.

Como se determina a cura?
É determinada pela existência de dois testes negativos com pelo menos 24 horas de intervalo.

1
1