rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 25 mar 19:56

Marcelo diz que pico da epidemia de coronavírus pode ser em maio

Marcelo diz que pico da epidemia de coronavírus pode ser em maio

Presidente da República recebeu representantes do setor social e apelou ao cumprimento das regras por parte dos mais velhos.

Veja também:

O pico da epidemia de Covid-19 pode ser em maio, adiantou esta quarta-feira o Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa falava no Palácio de Belém, depois de receber os responsáveis do setor social.

O Presidente disse que ficou descansado com as garantias dadas pela União de Misericórdias e pela Confederação nacional das Instituições de Solidariedade e salientou como o setor social é importante para toda a população. E voltou a apelar a que sejam respeitadas as indicações dadas pelas autoridades, o que reconhece pode causar cansaço.

A curva da epidemia em Portugal “vai subindo de uma forma mais suave [em comparação com outros países, como Espanha ou Itália], o que significa que o pico é mais tarde e ser mas tarde significa mais tempo que é pedido às pessoas, o que pode cansar”, disse o Presidente.

“Têm de resistir mais tempo ao cansaço. Onde o pico era para ser no final de março ou, depois, em meados de abril, pode ser mais tarde, pode ser já em maio. Isso para algumas pessoas é um fator de cansaço”, continuou Marcelo Rebelo de Sousa. A ultima estimativa do Governo era que o pico venha a registar-se entre 9 e 14 de abril.

Ainda que admita já o cansaço que algumas medidas podem gerar cansaço, o Presidente fez um apelo aos mais velhos para que cumpram as recomendações e não se estendam nas saídas de casa,

“O passeio higiénico significa para alguns casos o encontro com amigos ou com companheiros de jogo nos jardins onde que se encontram. Damas num caso, sueca noutro caso … Isso está interrompido, isso está suspenso. É um apelo refor��ado que faço porque percebo que queiram voltar aos hábitos da normalidade, mas não estamos a viver um momento normal”, avisou o Presidente, dirigindo-se sobretudo aos maiores de 70 como ele próprio.

Nestas declarações aos jornalistas, o Presidente voltou a ser questionado sobre os dados e a garantir a veracidade dos dados divulgados pelas autoridades. E afirmou-se mesmo como o garante da verdade

"Aquilo que posso garantir é que naquilo que depender de mim e de todas as autoridades com as quais estou em contacto permanente [primeiro-ministro, ministra da Saúde e diretora-geral da Saúde], tudo certamente será feito para que aquilo que é transmitido aos portugueses seja verdadeiro", disse Marcelo Rebelo de Sousa, que esta quarta-feira também falou com o presidente da Câmara de Ovar, Salvador Malheiro.

Evolução do coronavírus em Portugal

1
1