expresso.ptexpresso.pt - 17 mar 19:31

Covid-19. Portuguesa GoParity lança angariação de fundos para aquisição de equipamento médico

Covid-19. Portuguesa GoParity lança angariação de fundos para aquisição de equipamento médico

Iniciativa surge no âmbito do tech4COVID19, movimento de empreendedores e trabalhadores de tecnológicas e outras empresas portuguesas que se juntaram no combate ao coronavírus. São aceites donativos a partir de um euro para compra de máscaras, luvas e fatos de proteção

Máscaras, luvas e fatos de proteção. São estes os equipamentos médicos que a campanha de angariação de fundos lançada pela GoParity pretende adquirir e depois doar a hospitais e outras unidades de saúde em Portugal. Os donativos devem ter o valor mínimo de um euro.

O objetivo desta campanha gerida pela fintech portuguesa que financia projetos sustentáveis é o de captar um mínimo de 100 mil euros para a aquisição destes materiais que se destinam a proteger os profissionais de saúde, reduzindo a sua exposição ao vírus e a sua propagação. De acordo com a Ordem dos Médicos, 20% dos infetados em Portugal são médicos que, por falta de proteção, têm contacto com o vírus.

A campanha surgiu no âmbito do tech4COVID19, movimento que já junta mais de 1500 empreendedores e trabalhadores de empresas de áreas distintas, para criarem soluções tecnológicas com o intuito de combater e minimizar o impacto do atual surto.

Depois desta, poderão ser lançadas novas campanhas de angariação de fundos, seja para reforçar a compra de equipamentos de proteção individual, seja para adquirir ventiladores, testes de diagnóstico ou apoiar outras entidades com necessidades de equipamento ou outros meios de assistência. A identificação do material foi realizada de acordo com as orientações da Direção Geral de Saúde (DGS), além de técnicos e especialistas de saúde.

O tech4COVID19, que surgiu no passado sábado, “já identificou, de forma espontânea, fornecedores para mais de meio milhão de máscaras de proteção e mais de 50 ventiladores e tem recebido, por outro lado, várias solicitações de equipamentos e apoio de diversas fontes como centros hospitalares e profissionais de saúde”, lê-se no comunicado divulgado esta terça-feira pelo movimento.

Os fornecedores foram identificados por um conjunto de 15 startups que fazem parte desta comunidade, entre elas a Adapttech, a HUBB, a LOQr, a nBanks e a TonicApp.

Neste momento, o tech4COVID19 tem em curso cerca de 15 projetos. Entre eles, estão iniciativas para melhorar o rastreio de redes de contágio, facilitar videochamadas entre médicos e doentes ou para criar um chatbot que tire dúvidas sobre os apoios concedidos pelo Estado às empresas e às pessoas singulares.

1
1