expresso.ptexpresso.pt - 14 fev 18:24

“Temos 2200 investigadores que estão fora do combate ao crime de rua grave e violento”

“Temos 2200 investigadores que estão fora do combate ao crime de rua grave e violento”

Novo diretor nacional da PSP quer que a Polícia seja incluída na investigação aos crimes de rua graves e violentos, que estão nas mãos da PJ. “Temos 2200 investigadores que estão neste momento fora de combate”, diz ao Expresso

O superintendente-chefe Magina da Silva é o novo diretor nacional da PSP. Em entrevista ao Expresso, que será publicada na íntegra na edição do semanário, fala do racismo na polícia, do Movimento Zero ou das agressões a agentes.

Quais as novas tendências criminais que a PSP vai enfrentar? E quais os crimes que mais o preocupam?

Os crimes violentos de rua, roubos com ameaça de armas de fogo, que afetam diretamente os nossos cidadãos. Estamos preocupados com eles. E gostaríamos que, numa próxima revisão do quadro legal da distribuição de competências da investigação criminal, a PSP pudesse ser incluída na investigação deste tipo de crimes de rua, graves e violentos…Temos cerca de 2200 investigadores que estão neste momento de fora neste combate.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.

1
1