sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 14 fev 14:45

Carrefour retira disfarces de carnaval depois de ser acusado de hipersexualizar profissões

Carrefour retira disfarces de carnaval depois de ser acusado de hipersexualizar profissões

Uma jornalista espanhola partilhou fotografias de diversos disfarces, como o de mulher polícia, e acusou o supermercado de estar a objetificar sexualmente as profissões e as mulheres.

O supermercado Carrefour viu-se obrigado a retirar alguns dos seus disfarces de Carnaval, depois de uma jornalista espanhola ter acusado a cadeia de hipersexualizar algumas profissões e tratar as profissionais do género feminino como um objeto sexual.

As publicações da jornalista Ana Polo no Twitter tiveram imenso apoio por parte dos seus seguidores. Nas várias imagens, a mulher mostra disfarces como o de uma mulher polícia, empregada de limpeza e enfermeira. “Estas pessoas nunca devem ter visto uma mulher polícia no seu trabalho”, escreveu na legenda de três disfarces, onde pode ver as mulheres com fatos justos e curtos.

Para empezar esta gente no ha visto a una mujer policía en su vida, hulio. pic.twitter.com/tsTkDHzLoT

— Ana Polo (@anapolo___) February 9, 2020

“As mulheres também podem pilotar aviões. Desde que usem saias” e “empregadas de limpeza com as pernas à mostra. Que clássico” são outros dos comentários da jornalista de 29 anos. 

Sirvientas y azafatas mostrando piernas. ¿A quién no le gusta un clásico? pic.twitter.com/jAokA7ui9z

— Ana Polo (@anapolo___) February 9, 2020

Las mujeres también pueden pilotar aviones siempre y cuando vayan con la falda a ras de toto. pic.twitter.com/H3ttl7FTiO

— Ana Polo (@anapolo___) February 9, 2020

Para a jornalista o fato mais chocante é o de uma terapeuta sexual. "O que eles tentam vender é que este tipo de médico é uma pessoa com quem o paciente se pode envolver sexualmente e não um profissional que pode ajudá-lo", escreveu.

Y acabo con la SEXÓLOGA. Aquí ni disimulan. ¿Cómo podemos hacer que una doctora dé más para paja? HAGÁMOSLA LA DOCTORA DEL SEXOjajajjajahjahj pic.twitter.com/PIrKcRWgUz

— Ana Polo (@anapolo___) February 9, 2020

As denúncias de Ana Polo tiveram tanta visibilidade que os Bombeiros pela República chegaram mesmo a denunciar o supermercado francês pelo fato de bombeira. "É um insulto à nossa profissão, mas, acima de tudo, é uma falta de respeito e desprezo por todas as mulheres. Porque é que a mulher bombeira não está de calças", escreveram na sua conta oficial de Twitter.

Hola @CarrefourES @CRFresponde aquesta disfressa de bombera és un insult a la nostra professió, però sobretot és una manca de respecte i un menyspreu per a totes les dones.
Es pot saber perquè la bombera no porta pantalons?? pic.twitter.com/glAEWK5q8C

— Bombers per la República��🌊 (@ANC_Bombers) February 3, 2020

Apesar de apontar as falhas dos fatos de carnaval disponíveis no supermercado francês a jornalista afirma que o problema é geral e que muitas lojas e empresas comercializam fatos que objetificam a mulher e degridem certas profissões. “Falta um pouco de consciência feminista para ver que é mais uma maneira de nos usar como objetos sexuais”, disse Ana Polo, salientado que as mulheres que usam os fatos “não devem ser julgadas”, diz ao El País. 

O Carrefour afirma que produtos pertencem a um fornecedor externo com quem o supermercado tinha um contrato de venda na plataforma online e afirma que depois da polémica estes foram todos retirados. 

1
1