www.dinheirovivo.ptdinheirovivo.pt - 14 fev 11:58

Easypay aumentou lucros em 40% para 300 mil euros em 2019

Easypay aumentou lucros em 40% para 300 mil euros em 2019

A empresa de serviços de pagamento Easypay teve lucros de 300 mil euros em 2019, mais 40% do que em 2018, foi hoje divulgado.

Ainda em 2019, o volume de negócios subiu 43% para três milhões de euros. Já o volume de transações subiu 180% para 500 milhões de euros.

Em informação à Lusa, a Easypay indicou que este ano terá uma nova estratégia comercial, com um preçário unificado de 25 cêntimos mais 1,5% sobre o valor da transação para os seus clientes (apenas trabalha com clientes empresariais) independentemente do meio de pagamento que usem (cartões Visa e Mastercard, débitos diretos, referências multibanco, MB WAY).

“Com esta solução damos mais poder de decisão às empresas, pois não queremos que seja o preço a condicionar a escolha de um meio de pagamento em detrimento de outro”, disse o presidente executivo da empresa, Sebastião Lencastre, considerando ainda que 2019 foi “o melhor ano de sempre da Easypay”.

A empresa disponibiliza também aos seus clientes uma conta pré-carregada onde são debitadas as comissões das transações, separada da conta de pagamentos.

Segundo Sebastião Lencastre, ao disponibilizar uma conta de comissões independente, a Easypay está a ser “mais transparente e a permitir que a reconciliação bancária seja verdadeiramente simples.”

Criada em 2007 por Sebastião Lencastre, a Easypay é uma ‘fintech’ especializada em serviços de pagamento, com cerca de 9.500 clientes.

No ano passado, passou a ter um novo acionista, a gestora de fundos espanhola Fidentiis Gestión, com participação inferior a 10% (o valor do negócio não foi divulgado, mas terá sido inferior a 700 mil euros, já que o investidor avaliou a empresa em sete milhões de euros), sendo o objetivo a internacionalização para o mercado espanhol.

Ainda em 2019, venceu um concurso da Segurança Social para gerir pagamentos referentes a execução de dívidas, estimando que em três anos deva processar mais de 1,4 mil milhões de euros.

1
1