expresso.ptexpresso.pt - 14 fev 16:24

Portugal bate recordes, sobretudo num mundo "sentado"

Portugal bate recordes, sobretudo num mundo "sentado"

Exportações de mobiliário e colchoaria atingem 1,9 mil milhões de euros, o valor mais alto da década. E quem mais ordena são os assentos

A indústria do mobiliário e colchoaria fechou 2019 com exportações de 1,9 mil milhões de euros, o que representa um crescimento de 3,7% face ao ano anterior e um valor recorde na década. Os grandes motores desta subida foram os mercados francês (627 milhões de euros, correspondente a uma quota de 37%)) e espanhol (465 milhões de euros e quota de 25%), mas há, também, subida em destinos como a Alemanha (+ 38%) EUA (28%) e Bélgica(29%), anunciou hoje a APIMA, Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins num balanço anual feito com base nos dados do INE.

Joaquim Carneiro, presidente da APIMA, elege a «aposta das empresas portuguesas na inovação tecnológica, no design e na customização dos produtos» como as chaves para o crescimento do setor. Destaca, também, o «sucesso da estratégia de internacionalização, ancorada nos projetos conjuntos da APIMA e da AICEP, que permitiu a diversificação dos mercados e o crescimento em países particularmente desafiantes, como a Suíça e a Bélgica».

Por segmentos, o mobiliário de casa, com 763 milhões de euros gerados, foi responsável por 41% do volume total, mas os assentos são o produto made in Portugal mais popular desta fileira: somam vendas de 902 milhões de euros, 49% das quais na exportação. Já na colchoaria, com um crescimento de 10% num ano, as vendas totalizaram 156 milhões de euros.

Na balança comercial, o saldo do sector é positivo, com um superavit de 853 milhões de euros.

Para este ano, a APIMA prevê a consolidação da tendência de crescimento do sector e das suas exportações em velhos e novos mercados, potenciada pela participação nas principais feiras internacionais, de Paris, a Milão e Nova Iorque.

1
1