expresso.ptexpresso.pt - 14 fev 18:24

Generais angolanos dizem-se perseguidos e ameaçam vender maior grupo de comunicação social privado

Generais angolanos dizem-se perseguidos e ameaçam vender maior grupo de comunicação social privado

Acusados de se terem apossado de mais de mil imóveis arrestados pela Procuradoria-Geral da República angolana, os três acionistas do maior conglomerado privado de media de Angola, Media Nova, negam qualquer ligação ao consórcio que construiu os edifícios e, alegando perseguição, ponderam vender o grupo

Os três acionistas do Media Nova são os generais Hélder Dias “Kopelipa” e “Dino” Nascimento (ex-chefe dos serviços de comunicações de Eduardo dos Santos) e o ex-vice-presidente Manuel Vicente. A Procuradoria Geral da República (PGR) acusa-os de ligações ao consórcio que construiu os imóveis, China International Fund (CIF), o que os três negam ao Expresso.

Ao que apurámos, o embaixador chinês em Angola, Gong Tao, reuniu-se com as empresas chinesas envolvidas nas obras, paralisadas após a detenção do ex-patrão do CIF, Sam Pa. Segundo a PGR, Fernando Gomes dos Santos, ex-jurista da Sonangol, e Samora Albino, do Grupo Auchu, subscritores do pacto social do CIF Angola, terão sido testas de ferro de um negócio avaliado em mais de 400 milhões de dólares. A investigação estender-se-á ao braço do CIF em Hong Kong,

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.

1
1