expresso.ptexpresso.pt - 16 jan 08:28

“Chamaste-me mentirosa na televisão nacional”: revelada conversa entre Warren e Sanders após debate

“Chamaste-me mentirosa na televisão nacional”: revelada conversa entre Warren e Sanders após debate

A CNN, que transmitiu o debate, desfez o mistério da conversa mantida entre a senadora do Massachusetts e o senador do Vermont, ambos candidatos à nomeação democrata para as eleições de 3 de novembro. No final do debate a seis, Warren recusou um aperto de mão de Sanders, seguindo-se uma troca de palavras que a televisão americana dá agora a conhecer

Foi um dos momentos mais destacados do sétimo debate democrata nos EUA, o último antes das primárias. No final, a senadora do Massachusetts Elizabeth Warren recusou-se a apertar a mão ao senador do Vermont Bernie Sanders. Seguiu-se uma troca de palavras entre os dois candidatos à nomeação democrata para as eleições de novembro, mas a conversa foi inaudível para quem acompanhava a emissão televisiva.

A CNN, que transmitiu o debate, desfez o mistério. A conversa foi captada por uma câmara, mas o seu áudio já não chegou aos telespectadores. Nela, Warren acusa Sanders de a ter chamado mentirosa na televisão nacional.

Em causa estava a alegação de que Sanders lhe dissera, numa reunião privada em 2018, que uma mulher não poderia ser eleita Presidente. A contenda começou quando a CNN citou assessores de Warren dizendo que o senador tinha proferido aquela declaração.

Na segunda-feira, a véspera do debate, a senadora confirmou que Sanders lhe havia dito isso, enquanto o senador negou a alegação, classificando-a como “ridícula”. O desencontro das versões manteve-se no debate.

A conversa no final do debate, após Warren ter recusado o aperto de mão de Sanders, desenrolou-se deste modo, segundo a CNN:

Warren: “Penso que me chamaste mentirosa na televisão nacional.”

Sanders: “O quê?”

W: “Penso que me chamaste mentirosa na televisão nacional.”

S: “Sabes, não vamos fazer isto agora. Se queres ter essa discussão, teremos essa discussão.”

W: “Em qualquer altura.”

S: “Tu chamaste-me mentiroso. Disseste-me... Ok, não vamos fazer isto agora.”

O bilionário Tom Steyer, outro dos seis candidatos presentes no debate, estava atrás dos dois. “Não me quero meter no meio. Só quero dizer ‘olá’ ao Bernie.”

O caso rompeu um pacto de não-agressão entre Warren e Sanders que disputam os eleitores mais à esquerda. Além deles e de Steyer, qualificaram-se para o debate em Des Moines, no estado do Iowa, mais três candidatos à nomeação democrata para as eleições em que Donald Trump, apoiado pelo Partido Republicano, concorre a um segundo mandato: o ex-vice-Presidente Joe Biden, o mayor de South Bend, Pete Buttigieg, e a senadora do Minnesota Amy Klobuchar.

A 3 de fevereiro, os eleitores do Iowa dão o tiro de partida das primárias, seguindo-se New Hampshire na semana seguinte. Num estudo de opinião recente, 23% dos democratas registados disseram que votariam em Biden, 20% em Sanders e 15% em Warren.

1
1