sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 16 jan 08:25

Isaltino Morais diz que 'tinha a certeza absoluta' que ia ser reeleito depois da prisão

Isaltino Morais diz que 'tinha a certeza absoluta' que ia ser reeleito depois da prisão

Isaltino Morais foi ao programa de Cristina Ferreira e falou dos 14 meses que passou na prisão. “Resisti”, disse.

Isaltino Morais foi ao Programa da Cristina e garantiu que tinha a certeza de que iria ganhar as eleições depois de sair da prisão. “Tinha a certeza absoluta. Bastava andar na rua”, disse o presidente da Câmara Municipal de Oeiras.

Depois de António Costa, Rui Rio, Assunção Cristas ou Catarina Martins, o programa de Cristina Ferreira recebeu ontem o ex-autarca do PSD. Isaltino ganhou as eleições em Oeiras com maioria absoluta depois de ter cumprido 14 meses de prisão por fraude fiscal e branqueamento de capitais. O autarca atribuiu o sucesso eleitoral à “inteligência” dos eleitores de Oeiras. “Votam em quem consideram que lhes resolve os problemas”, disse.

Isaltino Morais falou dos tempos que passou na cadeia da Carregueira e garante que nunca entrou em depressão, apesar de ter vivido momentos difíceis. “Houve um camarada que morreu ali ao lado por falta de assistência. O sistema prisional é destruidor, mas eu resisti”, disse o autarca, garantindo que construiu relações de “amizade e gratidão” na prisão e continua a visitar algumas pessoas que conheceu durante o tempo em que cumpriu pena, entre abril de 2013 e junho de 2014.

Isaltino Morais é um dos presidentes de câmara que está há mais tempo na política. Começou por ser eleito pelo PSD, mas entrou em rutura com o partido e passou a concorrer por movimentos independentes.

Saiu da câmara para cumprir uma pena de pisão, depois de 24 anos como presidente, mas voltou quatro anos depois para disputar as eleições com Paulo Vistas, o seu antigo número dois. Venceu as eleições, em outubro de 2017, com mais de 41% dos votos pelo movimento INOVAR – Oeiras de Volta. Ontem, o autarca entrou na lista de políticos convidados para o popular programa de Cristina Ferreira na SIC. Não cozinhou, como António Costa e Assunção Cristas, mas garantiu que está disposto “a fazer um almoço para toda a equipa” e ofereceu um “chocolate feito pela Câmara de Oeiras”.

1
1