expresso.ptDaniel Oliveira - 16 jan 09:25

Príncipe Harry, duque de Sussex ®: tão improdutivo como um aristocrata, tão banal como um burguês

Príncipe Harry, duque de Sussex ®: tão improdutivo como um aristocrata, tão banal como um burguês

Há qualquer coisa de tristemente poético neste gesto do príncipe Harry. A lógica mercantil volta a ganhar, esmagando o mundo anacrónico em que vivem reis, rainhas e príncipes, transformados em pouco mais do que estrelas do espetáculo mediático. Mas é a um novo capitalismo que se vergam. Tão improdutivos como um aristocrata, tão banais como um burguês

O poder do mercado é avassalador. Como canta Caetano Veloso, é “a força da grana que ergue e destrói coisas belas”. E está a destruir a monarquia inglesa, que não é tão bela assim. O príncipe Harry desistiu do privilégio do título em nome do privilégio do dinheiro. Ou, como ele preferiu dizer, em nome da sua “independência financeira”. Ato corajoso? Pelo contrário. Aquilo de que o príncipe desistiu foi dos seus deveres. E, sentado na herança, incluindo a da família real, dispensou apenas 5% dos seus rendimentos – os que eram garantidos diretamente pelo Estado. Sem nenhuma das responsabilidades reais, guardou para si a fama e o estatuto que o privilégio lhe dá, pondo-os a render.

1
1