pplware.sapo.ptpplware.sapo.pt - 16 jan 10:04

Alegadamente, o FBI conseguiu entrar no iPhone 11 Pro Max de criminoso

Alegadamente, o FBI conseguiu entrar no iPhone 11 Pro Max de criminoso

O FBI, pretende aceder ao iPhone bloqueado de um criminoso. Foi requerida a colaboração da Apple, que se recusou a abrir um caso sem precedentes.

Os últimos dias trouxeram novos problemas para a Apple, que está a lidar com a pressão das autoridades norte-americanas – nomeadamente do FBI – para desbloquear o iPhone de um criminoso. A empresa de Tim Cook não quer abrir precedentes e tal acabou por despoletar críticas por parte de Donald Trump.

Não obstante, os últimos relatos dão conta que o FBI já conseguiu entrar nos iPhones de criminosos! Foi usada uma ferramenta poderosa, sendo que se levantam questões sobre não estar a ser usada novamente.

Não é a primeira vez que a Apple tem problemas com as autoridades norte-americanas – e com o próprio governo – por não colaborar na desbloqueio de iPhones. O caso emblemático foi o de San Bernardino, em 2016. Na altura, a Apple não foi negociável e o FBI teve de recorrer a uma empresa externa.

Desde então, o mediatismo de casos decresceu bastante, voltando às luzes da ribalta recentemente. O FBI quer aceder aos dois iPhones do criminoso de Pensacola. Mohammed Saeed Alshamrani é acusado de ter matado três marinheiros no mês passado.

A situação revoltou alguns membros das autoridades norte-americanas e ainda Donald Trump, que se dirigiu à Apple em tweets. O Presidente dos EUA acredita que a empresa de Tim Cook está a fugir às responsabilidades ao não abrir uma “porta dos fundos” que permita contornar a criptografia implementada no iPhone.

FBI já conseguiu a aceder a iPhone 11 Pro Max sem ajuda da Apple

O mediatismo gerado pelo caso de Pensacola torna-se ainda mais surpreendente agora que surgem relatórios que dão conta que o FBI já conseguiu a aceder a iPhone 11 Pro Max sem ajuda da Apple. Alegadamente, isto aconteceu em outubro e o iPhone pertencia a Baris Ali Koch, que aguarda a sentença.

Segundo as informações adiantadas pela Forbes, o FBI conseguiu desbloquear o iPhone recorrendo ao GrayKey. Este gadget é produzido pela startup Grayshift e, aparentemente, conseguiu quebrar a criptografia que a Apple implementa nos seus iPhones.

Assim sendo, este caso recente referente aos crimes de Mohammed Saeed Alshamrani em Pensacola ganha contornos curiosos. Tendo em conta que o FBI conseguiu aceder recentemente a um iPhone 11 Pro Max, o que os inibe de novamente quebrar a criptografia dos iPhone 5 e 7 Plus usados por Mohammed?

As suspeitas são muitas, sendo que o mais provável é que a Apple tenha corrigido a vulnerabilidade que permitia o GrayKey desbloquear os smartphones.

Leia também…

5 dicas de segurança para o seu iPhone

1
1