rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 16 jan 10:58

Medina acusa Tribunal de Contas de defender especulação imobiliária

Medina acusa Tribunal de Contas de defender especulação imobiliária

Comentadores da Renascença analisam relatório do Trbunal de Contas sobre gestão da Segurança Social. Documento critica venda de imóveis abaixo do valor de mercado.

O comentador da Renascença e presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, acusa o Tribunal de Contas de defender especulação imobiliária em Lisboa.

Em causa estão as críticas do TdC num relatório sobre a gestão da Segurança Social durante a qual a Segurança Social vendeu vários imóveis abaixo do preço de mercado.

“O TdC vem dizer que acha que a Segurança Social devia ter vendido mais caro os edifícios à Câmara, isto é, o TdC acha que a função da Segurança Social não é contribuir para a sustentabilidade do sistema e do país, mas acha que deve ser um especulador imobiliário no mercado de Lisboa”, diz Fernando Medina.

O autarca garante que o negócio cumpriu com todas as legalidades e arrasa o documento do TdC: “Um relatório incompetente, de uma fraquíssima qualidade técnica, que visa mais uma demonstração que o Tribunal de Contas está hoje muito empenhado em fazer política e cumprir menos cabalmente as suas funções”.

Já o professor universitário João Taborda da Gama começa por questionar “porque é que a Segurança Social tem durante tanto tempo tantos imóveis”.

“Eu tenho uma visão mais liberal sobre isso e acho que o Estado não deve ter um parque imobiliário, deve-se desfazer dele rapidamente, não o deve adquirir”, argumenta.

No entanto, acrescenta Taborda da Gama, se há uma opção eleitoralmente validada para uma política pública de habitação, então “não se percebe como é que se pode criticar que a transferência de imóveis naquilo que é em termos sociais, culturais e económicos a esfera pública“.

“Até é desejável que isso seja feito abaixo do preço do mercado, se não a Câmara de Lisboa ia à Remax”, remata João Taborda da Gama.

1
1