www.jornaldenegocios.ptjornaldenegocios.pt - 4 dez 11:52

UBS recomenda comprar ações da Nos e desvaloriza impacto da MásMóvil

UBS recomenda comprar ações da Nos e desvaloriza impacto da MásMóvil

O banco suíço considera que o desempenho negativo das ações em 2019 não tem justificação e que os receios com a entrada da MásMóvil são excessivos.

O UBS melhorou a recomendação das ações da Nos, de "neutral" para "comprar", tendo mantido o preço-alvo de 5,40 euros.

"A ação oferece um ‘dividend yield’ elevado (7%) e um potencial de valorização moderado, pelo que melhoramos o ‘rating’ para comprar", refere a nota de research a que o Negócios teve acesso e que foi publicado esta quarta-feira, 4 de dezembro.

O analista Bosco Ojeda começa por assinalar que 2019 está a ser um "bom ano" para a Nos. Mas as ações da empresa liderada por Miguel Almeida registam uma prestação negativa "considerável", com uma queda de cerca de 7% no ano e um desempenho 22% inferior ao PSI-20 e 27% abaixo do setor.

Para o UBS este comportamento das ações mostra que o mercado está preocupado com a entrada do operador espanhol MásMóvil em Portugal através da aquisição da Oni e Nowo. "Pensamos que estes receios são excessivos: a Nos tem uma forte posição no mercado local que é altamente competitivo e onde um quarto operador terá pouco a ganhar", escreve Bosco Ojeda.  

No cenário de a MásMóvil replicar em Portugal o sucesso da operação em Espanha, onde detém uma quota de mercado de 10%, o UBS calcula que o EBITDA da Nos poderá baixar entre 1 a 2% ao ano. Mas "pensamos ser pouco provável que um novo ‘player’ possa ser tão agressivo em Portugal, tendo em conta os preços baixos e exigências de capex (investimento)", refere o banco de investimento suíço.   

Neste contexto, o UBS considera que o desempenho recente das ações "pode representar uma oportunidade". Na terça-feira, 3 de dezembro, as ações da Nos atingiram mínimos desde outubro de 2018, sendo que hoje estão a beneficiar com esta nota de research, acumulando ganhos de 1,97% para 5,025 euros.

Além de considerar que as ações estão desvalorizadas, o UBS dá conta que a companhia de telecomunicações tem catalisadores relevantes pela frente e apresenta um elevado "dividend yield", que está nos 7%.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

PUB Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.
1
1