eco.sapo.pteco.sapo.pt - 4 dez 11:37

EY quer mais mulheres no prémio Entrepreneur of the Year

EY quer mais mulheres no prémio Entrepreneur of the Year

Consultora está a incentivar empreendedoras a candidatarem-se já nesta edição, que nomeará um vencedor em março de 2020.

A EY quer que mais mulheres se candidatem ao prémio Entrepreneur of the Year, uma distinção que esta consultora organiza a cada dois anos e reconhece os melhores empreendedores em Portugal tendo em conta o desempenho das empresas que gerem e a inovação com que esse sucesso foi conseguido. De acordo com o responsável pela área de desenvolvimento de negócio da EY em Portugal, Luís Florindo, foram poucas as mulheres a participar nas edições anteriores, mas devia haver mais porque, a cada ano que passa, cresce o número de mulheres em cargos de gestão, alguns deles de topo.

“Sempre que fazemos a auto-avaliação das edições anteriores um dos pontos identificados é a da sub-representação de mulheres empreendedoras, o que começa desde logo no número de candidaturas recebidas e acaba por se refletir nas finalistas e nos vencedores. A partir desta constatação, nas últimas edições temos feito um esforço redobrado de tentar promover o EoY junto de empreendedoras e de fazer contactos diretos com aquelas que acreditamos terem percursos que merecem ser destacados. Nesta edição estamos novamente a fazer esse esforço”, explica Luís Florindo.

Contudo, mesmo com este trabalho de campo, o feedback ainda não é o esperado. “Somos muitas vezes confrontados com a decisão, que respeitamos, de algumas dessas empreendedoras não quererem ‘aparecer’”, conta. Um fenómeno que, explica, “não é exclusivo das mulheres”.

“Tratando-se de um troféu atribuído à pessoa e não à empresa, alguns empreendedores hesitam perante a perspetiva de que algumas pessoas considerem a participação no troféu como um ato de vaidade”, repara.

Para já, o aumento da representação feminina no prémio Entrepreneur of the Year está patente no júri escolhido para este ano que, como o ECO já avançou, está em paridade de género. Dos oito elementos, quatro são homens e quatro são mulheres, todos eles em cargos de topo dentro da sua área, seja empresarial seja académica.

O prémio de 2020 foi lançado no início de novembro e já está a aceitar candidaturas que podem ser espontâneas ou que podem ser entregues através de terceiros que propõem determinado gestor ou empreendedor.

Na lista de vencedores estão, por exemplo, o CEO da Corticeira Amorim, António Rios de Amorim; Belmiro de Azevedo, da Sonae; Carlos e Jorge Martins, da Martifer; Carlos Moreira da Silva, da BA Glass; Dionísio Pestana, do grupo Pestana; Manuel Alfredo de Mello, da Nutrinveste; e Bento Correia e Miguel Leitmann, da tecnológica Vision-Box. Ou seja, por enquanto, apenas homens.

1
1