www.publico.ptpublico@publico.pt - 2 dez 11:53

Ai, a ganância…

Ai, a ganância…

Surgiu-lhe uma oportunidade de investimento rápida, simples e muito lucrativa, com risco baixo ou nulo? Desconfie. Ou prefere ser a próxima (gananciosa) vítima?

Idolatrar o dinheiro parece-me que é um pecado capital. Neste mês natalício, em que os corações amolecem temporariamente, continuamos a pasmar com notícias de pessoas enganadas com os denominados esquemas Ponzi, por vezes confundidos erroneamente com vendas de marketing multinível.

Não sabemos se quem ainda cai nestes aliciamentos é só ingénuo ou também ganancioso. Mas tendemos a acreditar mais na última hipótese. Sendo um assunto tão mastigado em todos os órgãos de comunicação social, o mínimo que nos parece adequado será informarem-se antes, repito, antes, de investirem o que quer que seja.

Desta vez o engodo veio mascarado de trading de criptomoedas, como sejam as bitcoins, feito por um robot exclusivo, com a garantia de pagamento de 10% de comissão sobre cada nova vítima que comprasse um pacote no esquema, tudo adequadíssimo especialmente quando o destinatário é leigo em moeda virtual.

Um website catita, uma apresentação simples e colorida disponível na internet, com quadrinhos apelativos relativamente aos retornos financeiros, a que se soma a astúcia persuasiva dos mentores nas sessões levadas a cabo em tranquilos hotéis, e está montado o cenário. Depois é só deixar os peixinhos – os gananciosos peixinhos – morderem o isco.

Estava bom de ver que, se descontássemos o vistoso palco de credibilidade, promessas de retorno semanal do investimento na ordem dos 4% a 12,5% por semana, seria o suficiente para fazer soar as campainhas todas. Quem pode pagar essas taxas de rentabilidade não precisa do seu dinheiro. Mas não foi assim que, mais uma vez, aconteceu. E lá se sucedem as queixas, os choros, as perdas, tudo sobre leite derramado, enquanto quem montou o esquema fica, muitas vezes, a rir-se desbragadamente.

Este tipo de crime (burla), de acordo com o RASI de 2018, mantém uma tendência de crescimento preocupante. O que de mais útil se pode aqui transmitir é o seguinte:

Surgiu-lhe uma oportunidade de investimento rápida, simples e muito lucrativa, com risco baixo ou nulo? Desconfie.

Disseram-lhe que os retornos seriam constantes e consistentes? Continue a desconfiar.

Não conhece o vendedor? Investigue-o minuciosamente, pergunte-lhe onde está registado, antes de investir.

Apesar da prosápia do oferente, não conseguiu perceber nada de como o assunto funciona? Informe-se.

Propõe-se a investir sem ler cuidadosamente documentos escritos? Não o faça. Esteja atento a erros nos extractos de conta que podem indiciar a actividade fraudulenta.

Tornou-se difícil receber o seu pagamento ou impossível retirar o investimento? Suspeite. Os organizadores do esquema Ponzi por vezes incentivam os participantes a manterem o investimento, com a garantia de maior retorno.

Conhece o vendedor, de carácter respeitável, que lhe pede para disseminar a oportunidade única? Não o faça, se a resposta às questões acima foi maioritariamente SIM.

Está envolvido numa presepada destas e não sabe o que fazer? Denuncie. Os organismos que devem receber a sua denúncia são a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, o Banco de Portugal, a Polícia Judiciária e o Ministério Público. Não se acanhe.

Ou prefere ser a próxima (gananciosa) vítima?

1
1