www.sabado.ptleitores@sabado.cofina.pt (Sábado) - 2 dez 17:54

Taiwan pode ser um parceiro valioso na resposta global às mudanças climáticas

Taiwan pode ser um parceiro valioso na resposta global às mudanças climáticas

É injusto que Taiwan seja excluído de organizações internacionais com base em preconceitos políticos. - Opinião , Sábado.

As concentrações de dióxido de carbono atmosférico registadas no Observatório Mauna Loa, no Havai, atingiram um pico histórico de 415 partículas por milhão em maio de 2019. A Organização Meteorológica Mundial também divulgou dados que mostram que junho de 2019 foi o mês mais quente da história, quebrando recordes de Nova Deli ao Polo Norte. Como a presidente Hilda Heine, das Ilhas Marshall, aliada de Taiwan, apelou ao mundo, não vale a pena discutir ou debater se a mudança climática acontecerá, porque ela está a acontecer agora.

Como membro da vila global, Taiwan está a esforçar-se para combater as mudanças climáticas e proteger a Terra. De facto, estamos a desempenhar um papel indispensável na tarefa vital de legar um ambiente sustentável às gerações futuras.

Como resultado da atual situação política internacional, Taiwan foi impedida de participar na Conferência das Partes, realizada sob a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). No entanto, continuamos a procurar meios de fazer contribuições para a comunidade internacional. Aprovámos a Lei de Redução e Gestão de Gases de Efeito Estufa, estabelecendo metas de longo prazo para a redução de gases de efeito estufa em Taiwan e formulámos Diretrizes Nacionais de Ação sobre Mudanças Climáticas e um Plano de Ação para Redução de Gases de Efeito Estufa. Também elaborámos um Plano de Ação de Controlo de Emissões de Redução de Gases de Efeito Estufa que engloba os sectores de energia, manufactura, transporte, desenvolvimento residencial e comercial, agrícola e ambiental de Taiwan.

Com um roteiro claramente delineado para as reduções nacionais de emissões de carbono, os pontos principais deste plano incluem a promoção da transformação de energia, ajuda aos fabricantes para que estes se tornem empresas verdes e de baixo carbono, desenvolvimento de transporte ecológico e expansão do uso de veículos de baixo carbono, atualização dos padrões de projeto de economia de energia para o exterior de novos edifícios, ajuda às quintas de gado para reciclar biogás, fortalecimento da reciclagem de metano de aterros sanitários e efluentes industriais. Além disso, a aprovação de um Plano de Implementação de Controlo de Gases de Efeito Estufa proposto pelos governos locais mostra como Taiwan está a responder coletivamente às mudanças climáticas, de um nível central para um nível local.

O nosso governo fez um progresso significativo no desenvolvimento do sector de energia renovável de Taiwan nos últimos anos, adotando ativamente políticas destinadas a reduzir a produção de energia a partir do carvão, aumentar o uso de gás natural e promover o desenvolvimento verde. Até 2025, esperamos que a geração de energia solar e eólica produza 20GW e 6,9GW de eletricidade por ano, respetivamente, e também estamos a lançar inúmeras políticas e ações de economia de energia no âmbito de nosso Programa de Desenvolvimento de Infra-estrutura e iniciativas semelhantes.

Entretanto, o nosso Plano de Ação para Finanças Verdes concentra-se em áreas como finanças, investimentos, captação de recursos e incubação de talentos, apoiando o desenvolvimento do sector de energia verde, aumentando os incentivos financeiros. Em termos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico, a política de tecnologia verde de Taiwan abrange o desenvolvimento de energia, armazenamento de energia, economia de energia e integração de sistemas, utilizando materiais prospetivos, tecnologia sustentável, economia avançada de energia, sistemas inteligentes e áreas semelhantes para envolver a indústria com os frutos da pesquisa no mundo académico.

E desde o lançamento do nosso satélite FormoSat-3 em 2006, Taiwan acumulou mais de 10 milhões de itens de dados meteorológicos, os quais foram fornecidos gratuitamente a especialistas e estudiosos de todo o mundo para uso nas suas pesquisas científicas. Além disso, os dados recolhidos após o lançamento do satélite FormoSat-7 deste ano, melhorarão ainda mais a precisão quando se trata de prever eventos climáticos severos, dando uma grande contribuição à previsão meteorológica global e às ações de mudanças climáticas.

Taiwan reuniu as agências governamentais relevantes para formular um Plano de Ação Nacional de Adaptação às Mudanças Climáticas, construindo um sistema resiliente que responda a oito aspetos da mudança climática: desastres, infra-estruturas básicas, recursos hídricos, segurança nacional, linhas costeiras, energia e indústria, agricultura e saúde. No campo da assistência à saúde, estamos a dar ênfase especial à higiene médica e prevenção de epidemias, redução de desastres e capacidade de recuperação de emergência e desastres, salvaguardando a saúde nacional e priorizando a proteção de nossos cidadãos mais vulneráveis.

Em termos de conservação, sustentaremos os nossos recursos de produção agrícola e biodiversidade, reforçaremos os mecanismos de monitorização e alerta precoce, fortaleceremos os sistemas de resgate e seguro de desastres naturais e integraremos tecnologias projetadas para aumentar a resiliência da agricultura, silvicultura, pesca e indústria pecuária. Também estamos a trabalhar e a gerir reservas naturais, estabelecendo sistemas de monitorização ecológica a longo prazo e fortalecendo a conservação e o uso apropriado das espécies da nossa nação e do material genético associado. Tudo isso visa garantir a segurança dos alimentos e estabelecer práticas agrícolas sustentáveis e bem adaptadas aos riscos climáticos.

Segundo Patrícia Espinosa, secretária executiva da UNFCCC, mais de 10 mil incidentes climáticos extremos ocorreram globalmente entre 1997 e 2016, ceifando inúmeras vidas e destruindo casas. À medida que o mundo continua a enfrentar crises de mudanças climáticas, este problema global exige uma solução global. Isso significa que todas as pessoas, como membros da nossa comunidade global, devem participar e procurar uma solução.

É injusto que Taiwan seja excluído de organizações internacionais com base em preconceitos políticos. A nossa exclusão contradiz o espírito de convenções climáticas relacionadas, que instam todas as nações a trabalharem juntas para combater a mudança climática global e negligencia o conceito de justiça climática enfatizado no Acordo de Paris e o significado de convidar todas as nações a tomarem medidas climáticas. Esta violação da Carta da ONU enfraquece a nossa estrutura internacional e prejudica o mundo inteiro.

Taiwan é um amigo responsável e sincero da comunidade internacional e está pronto para contribuir. Teremos o prazer de partilhar a nossa experiência na boa gestão ambiental, prevenção de desastres e sistemas de alerta precoce, atualização para tecnologias eficientes em energia e inovação de alta tecnologia e suas aplicações. Estamos a esforçar-nos para tornar o mundo um lugar melhor e acreditamos que Taiwan pode ser um parceiro valioso na resposta global às mudanças climáticas.

1
1