expresso.ptDaniel Oliveira - 8 nov 19:18

Residência alternada: veremos como se comporta a esquerda

Residência alternada: veremos como se comporta a esquerda

Esta sexta-feira será discutida uma petição de cidadãos sobre residência alternada. O comportamento dos partidos é determinante. Porque define a sociedade em que queremos viver, a justiça que queremos ter e a partilha que queremos fazer dos nossos deveres e direitos

Já escrevi várias vezes sobre o já velho combate dos que acreditam que a parentalidade responsável e plena é um dever (antes de tudo) e um direito de homens e mulheres. Que esta partilha é um salto civilizacional de enorme relevância. Que ela garante às mulheres uma verdadeira igualdade na utilização do seu tempo de lazer e na sua progressão na carreira. E que um novo papel dos homens na educação dos seus filhos corresponde à mudança social por que se bateram muitas gerações de ativistas pela igualdade de género. Também já aqui escrevi que obrigar as crianças a divorciarem-se de um dos progenitores só porque a relação entre os dois terminou é uma violência que tem de ser justificada por força maior. E que a minha experiência, como pai de fim de semana, primeiro, e em regime de residência alternada, depois, me deixou muito claro que não se pode ser pai nas horas vagas, para programas de Jardim Zoológico. Em alguns casos, é a única possibilidade. Mas é a menos recomendável.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler (também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso).

Torne-se assinante

1
1