expresso.ptexpresso.pt - 8 nov 20:58

Exclusivo. A última entrevista de Lula na prisão: “Se depender da minha saúde e jovialidade, volto a ser candidato”

Exclusivo. A última entrevista de Lula na prisão: “Se depender da minha saúde e jovialidade, volto a ser candidato”

Poucos dias antes de ser libertado, Lula da Silva aceitou dar uma entrevista ao Expresso. O ex-Presidente do Brasil diz que não exclui um regresso à política

Animado e combativo, Lula da Silva recebeu o Expresso na prisão. De novo apaixonado, dois anos após ter enviuvado de Marisa Letícia — quer casar com a socióloga Rosângela Silva —, o ex-Presidente não exclui um regresso à política. Um dia depois da entrevista, o Supremo Tribunal Federal decretou que ninguém pode ser preso enquanto o recurso for possível. “A defesa vai reunir-se com Lula e requerer a sua libertação”, disse ao Expresso, ontem, Manoel Caetano, advogado de Lula. “Amanhã eu vou te buscar”, twittou a sua namorada.

Como se sente?
Não se esquece as mágoas, é preciso trabalhá-las. Quando vim para a cadeia tive cuidado para não permitir que o ódio e o rancor tomassem conta da minha cabeça. Estabeleci um modus vivendi que me permite estar em paz. Poderia ter saído do Brasil. Resolvi vir para a cadeia porque precisava de provar que [Sérgio] Moro é mentiroso. Que há um bando de gente do Ministério Público e da Lava Jato que tem um comportamento canalha. Quero que a história seja recontada. Que a mentira não prevaleça. A lei é para todos. Se fazem investigação e tenho culpa, tenho de ser punido, mas se sou inocente, tem de haver coragem de dizê-lo. Está provado que a minha prisão teve um único objetivo: evitar que o PT [Partido dos Trabalhadores] continuasse a governar com o Lula a partir de 2019.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler (também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso).

Torne-se assinante

1
1