expresso.ptexpresso.pt - 8 nov 16:24

Têxteis. EUA são o destino que mais cresce. Espanha lidera as quedas

Têxteis. EUA são o destino que mais cresce. Espanha lidera as quedas

Exportações voltam a terreno positivo em setembro

As exportações de têxteis e vestuário aumentaram cerca de 2% em setembro de 2019, comparativamente ao mesmo período do ano passado, mas o saldo dos primeiros 9 meses do ano mantém-se negativo ( -1%), nos 3.957 milhões de euros, anunciou esta sexta-feira a ATP - Associação Têxtil e Vestuário de Portugal.

O vestuário de malha é a categoria com a maior queda absoluta até setembro: -45 milhões de euros (-2,7%). Seguem-se as matérias-primas de algodão, incluindo fios e tecidos, com menos 12 milhões exportados ( -9,8%).

A contrariar este desempenho, o vestuário em tecido deu um salto de 3,8% ou de 27 milhões de euros, seguindo-se as de pastas, feltros e artigos de cordoaria, com um acréscimo de 20 milhões de euros (+10,8%).

Nos destinos intracomunitários, a queda nos primeiros 9 meses do ano foi de 2%. Inversamente, os destinos não comunitários cresceram 4,7%, com os EUA a registar o maior aumento absoluto (+19,8 milhões de euros, ou seja, +8,5%). Turquia, Canadá, India, Trinidad e Tobago e Vietname são outros destinos não comunitários no ranking dos maiores crescimentos absolutos no período em análise. Em sentido contrário, a liderar as quedas, estão Espanha (-49 milhões de euros ou -3,8%) e Alemanha (-16 milhões de euros ou -4,5%).

"O saldo da balança comercial do setor, embora ainda bastante positivo, tem vindo a degradar-se", destaca o presidente da ATP, Mário Jorge Machado, numa reação a estes resultados.neste momento, o saldo é de 680 milhões de euros, com uma taxa de cobertura de 121%.

1
1