expresso.ptexpresso.pt - 8 nov 12:59

Transportes e armazenagem abrandam em 2018

Transportes e armazenagem abrandam em 2018

O ritmo de crescimento do volume de negócios no setor dos Transportes e Armazenagem abrandou para 6,7% em 2018, depois de ter crescido 10,7% no ano anterior

O ritmo de crescimento do volume de negócios no setor dos Transportes e Armazenagem abrandou para 6,7% em 2018, ascendendo a 21,8 mil milhões de euros, divulgou esta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).
Em 2017, o volume de negócios do setor tinha crescido 10,7% face ao ano anterior.

Segundo as Estatísticas dos Transportes e Comunicações de 2018, o subconjunto de empresas de Transportes apresentou um crescimento de 7,7% no volume de negócios, verificando-se também uma diminuição do seu ritmo de crescimento face a 2017, quando tinha crescido 10,8%.

O número de empresas no setor de Transportes e Armazenagem (secção H da CAE) situou-se em 25,1 mil, mais 9,7% em relação a 2017, sendo que, ao subconjunto de atividades específicas de Transportes corresponderam 21,9 mil empresas (+0,3% face ao ano anterior).

O transporte ferroviário de mercadorias também sofreu uma ligeira redução em 2018, com um total de 10,6 milhões de toneladas movimentadas, o que corresponde a uma redução de 0,5% face a 2017.

Em termos de volume de transporte, o INE observou um acréscimo de 0,5%, "reflexo de um aumento de 1,0% no percurso médio de cada tonelada (261,3 quilómetros)".

Em tráfego nacional foram transportadas 8,3 milhões de toneladas de mercadorias no mesmo período em análise (-3,0% do que em 2017), o equivalente a 78,9% do tráfego total (80,9% em 2017 e 81,3% em 2016).

Já o tráfego internacional de mercadorias em modo ferroviário manteve-se em crescimento (+10,2%, após +4,1% em 2017 e +10,8% em 2016), ascendendo a 2,2 milhões de toneladas, totalmente transportadas de e para Espanha.

O principal grupo de mercadorias transportadas por ferrovia em 2018 foi o que corresponde a "Coque e produtos petrolíferos refinados", com 1,4 milhões de toneladas, totalmente movimentadas em território nacional, e que representaram 13,6% do total (-3,8 pontos percentuais face a 2017).

1
1