expresso.ptDaniel Oliveira - 12 out 08:20

A ‘geringonça’ acabou

A ‘geringonça’ acabou

Opinião de Daniel Oliveira

À semelhança da legislatura agora finda, será prosseguida uma metodologia idêntica de apreciação prévia das propostas de Orçamentos do Estado e de outras relevantes para a estabilidade governativa”. Foi com esta revisão do passado, ignorando que as posições conjuntas assinadas em 2015 foram o guião da relação do BE e do PCP com o Governo, que o PS fechou a negociação com o BE em menos de 24 horas. À imprensa, tentou vender a ideia de que um novo acordo para a legislatura seria uma “coligação programática”, em tudo diferente do passado. Querendo fazer que uma coisa pareça o seu contrário, os socialistas acabaram com a geringonça. Nem uma nem meia. Nenhuma. O que teremos, e é bom que fique claro para que não venham a ser exigidas responsabilidades a quem não são devidas, é um governo minoritário sem apoio parlamentar estável. Porque, nestes quatro anos, esse apoio resultou dos acordos assinados, com um conjunto de medidas que funcionaram como garantias para BE, PCP e PEV. Se os partidos de esquerda deixarem que o PS passe outra mensagem ficarão amarrados à chantagem da estabilidade sem qualquer poder sobre a governação.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler (também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso).

Torne-se assinante

1
1